Voltar

Informativo Diário

04/08/2020

DÓLAR INICIA A SEMANA COM FORTE ALTA E PREÇOS DA SOJA DISPARAM NO MERCADO INTERNO

Na segunda-feira, o mercado interno de soja iniciou a semana com melhor movimentação nas diferentes praças de negociação do país. Impulsionados pela forte alta do dólar, que atingiu a máxima de R$ 5,33 ao longo do pregão, os preços da soja avançaram significativamente no mercado doméstico. Os ligeiros ganhos de Chicago e os prêmios na faixa de US$ 1,60/bushel contribuíram para o cenário positivo da commodity. No interior dos estados as cotações já ultrapassam os R$ 120 por saca no disponível. Na safra nova o comprador já indica R$ 100 por saca para embarque e pagamento em meados de maio/21. Com pouca oferta no disponível, melhores negócios foram registrados na safra nova, onde pelo menos 10 mil toneladas de soja trocaram de mãos somente no estado de Goiás.

RS: melhores negócios registrados na safra nova e preços avançando no estado. Na região portuária, para embarque e pagamento em meados de maio/21, indicações na faixa de R$ 110 por saca CIF Rio Grande. Para embarque imediato e pagamento em meados de setembro deste ano, havia possibilidade de negócios até R$ 126 por saca CIF, porém sem contrapartida de venda.

PR: os preços avançaram e somente negócios pontuais foram reportados. Para embarque em março/21 e pagamento em abril/21, indicações na faixa de R$ 111 por saca CIF região portuária. Para embarque imediato e pagamento em meados de setembro deste ano, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 122 CIF Paranaguá, porém sem contrapartida de venda. Na região oeste do estado, indicações nominais entre R$ 118 e R$ 118,50 por saca para embarque imediato e pagamento em meados de setembro deste ano.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão e no óleo, e em queda no farelo na segunda-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 2,45% no óleo e perdas de 0,76% no farelo. O grão encerrou estável. No melhor momento do dia, o contrato agosto/20 do grão atingiu a máxima de US$ 9,03 por bushel. No final da sessão, trocou de mãos a US$ 8,9750 por bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 2,75 pontos nos principais vencimentos. O vencimento setembro/20 operava com ganhos de 1,25 pontos, com negócios a US$ 8,9150 por bushel.

• Sinais de demanda pelo produto dos Estados Unidos sustentaram as cotações. Mas o clima favorável às lavouras americanas tirou os contratos das máximas do dia.

• Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 260.000 toneladas de soja para destinos desconhecidos. São 8 mil toneladas para entrega na temporada 2019/20 e outras 252 mil toneladas para 2020/21.

• As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 551.543 toneladas na semana encerrada no dia 30 de julho, conforme relatório semanal divulgado pelo USDA. Analistas esperavam o número em 535 mil toneladas.


CHINA O Banco do Povo da China (Pboc, o banco central do país) vai aumentar significativamente a oferta de liquidez e o financiamento social total face ao ano passado para ajudar as empresas em dificuldades. As informações são da agência de notícias "Dow Jones". O Pboc disse em comunicado que vai promover um aumento substancial de empréstimos de médio e longo prazo para as empresas e fabricantes menores, que foram fortemente atingidos pela pandemia.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje em alta de 1,87%, sendo negociado a R$ 5,3140 para venda, em dia de movimento global de valorização da moeda norteamericana frente as demais divisas. Notícias sobre a volta do aumento dos casos de coronavírus, as tensões entre Estados Unidos e China, e a falta de um acordo para aprovação do pacote de estímulo norte-americana trouxeram cautela aos investidores.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax