Voltar

Informativo Diário

21/06/2019

NA VÉSPERA DO FERIADO, PREÇOS DA SOJA RECUAM E POUCOS NEGÓCIOS SÃO REPORTADOS

Na quarta-feira, o mercado interno de soja manteve-se pouco agitado nas diferentes praças de negociação do país. Na véspera do feriado de Corpus Christi, a oleaginosa registrou perdas de até 11,5 pontos nos principais vencimentos em Chicago e as cotações recuaram no mercado doméstico. A moeda norte-americana também encerrou no campo negativo, afetando o ritmo da comercialização.

RS: preços mais fracos no estado e poucos volumes foram negociados ao longo do dia. A produtividade média para o estado está estimada em aproximadamente 3.480 quilos por hectare (58 sacas por hectare).

PR: cotações recuando no estado e poucos volumes negociados ao longo do dia. A produtividade média para o estado está estimada em cerca de 3.000 quilos por hectare (50 sacas por hectare).


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em queda no grão e no farelo, e em alta no óleo nesta quartafeira. Nas posições spot, perdas de 1,12% no grão e de 1,58% no farelo, e ganhos de 0,14% no óleo.

• O mercado colocou fim a uma série de sete sessões consecutivas de ganhos, quando os preços atingiram os melhores níveis em mais de três meses.

• A quarta foi de realização de lucros. O clima nos Estados Unidos segue no foco das atenções. Alguns institutos indicam clima menos úmido nos próximos dias, que poderia viabilizar o encerramento dos trabalhos de plantio, muito atrasados nos Estados Unidos.

• Já a retomada das negociações entre Washington e Beijing é vista com reservas, pois há dúvidas se realmente vai sair um acordo ainda esse mês.


CHINA A China disse que resultados positivos podem ser alcançados por meio das negociações comerciais com os Estados Unidos, disse o porta-vos do ministério de Relações Exteriores chinês, Lu Kang, em coletiva de imprensa regular. Ao ser questionado se a China está otimista sobre as conversas sinoamericanas, Lu disse que não pode julgar, mas que a história de 40 anos de relações diplomáticas entre os dois países provou repetidamente que as diferenças econômicas e comerciais podem ser resolvidas com diálogo. "No entanto, o diálogo e a consulta devem basear-se no respeito mútuo, na igualdade e no benefício mútuo. Se ambos os lados puderem seguir essa atitude, o resultado será definitivamente positivo", de acordo com o portavoz.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com queda de 0,25%, sendo negociado a R$ 3,8510 para venda. A moeda norte-americana passou a maior parte do dia em ligeira alta, mas passou a cair após o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) anunciar a manutenção da taxa de juros no país. Mesmo invertendo o sinal de alta para queda, o recuo do dólar diante do real não foi tão expressivo, pois os investidores seguiram na defensiva. "Primeiro temos um ajuste por causa do feriado amanhã no Brasil. Depois ainda temos um ambiente de guerra comercial e o Powell [Jerome, presidente do Fed] dizendo que fica no cargo até o final do mandato, mesmo com o Trump [Donald, presidente dos Estados Unidos] pressionando sua saída. Isso deixou o mercado muito na defensiva", explicou Camila Abdelmalack, economista da CM Capital Markets.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax