Voltar

Informativo Diário

23/01/2020

COM QUEDA DE CHICAGO E DÓLAR, COTAÇÕES DA SOJA PERMANECEM POUCO ATRATIVAS NO PAÍS

Na quarta-feira, o mercado interno de soja esteve lento nas diferentes praças de negociação do país. Mantendo a tendência de queda, a commodity teve mais um dia de perdas em Chicago. Em relação ao dólar, após atingir os níveis de R$ 4,20 na sessão anterior, a moeda norte-americana encerrou com perdas significativas. Sendo assim, as cotações permanecem pouco atrativas no mercado doméstico e os negócios seguem escassos.

RS: sem alteração nas cotações e mercado calmo. Na região portuária, as indicações permanecem na faixa de R$ 90,50/saca CIF para embarque e pagamento no mês de junho e R$ 89,50 para abril, porém sem contrapartida de vendas.

PR: dia de queda nas cotações e poucos negócios reportados. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 91/saca CIF para embarque no mês de fevereiro/21 e pagamento em meados de abril/21, mas sem registro de lotes significativos comercializados.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em queda no grão e no farelo, e em alta no óleo na quarta-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,24% no grão e de 0,40% no farelo, e ganhos de 0,82% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato março/20 atingiu a máxima de US$ 9,22 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,1375 por bushel, com queda de 2,25 pontos. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com perdas de até 2,25 pontos nos principais vencimentos. O vencimento maio/20 operava com perdas de 2,25 pontos, com negócios a US$ 9,2750 por bushel.

• O mercado carece de notícias positivas. Fundamentalmente, pesaram negativamente a entrada de uma safra cheia no Brasil nas próximas semanas e a demanda menor que o esperado da Ásia pela oleaginosa. As informações partem da Agência Dow Jones. Os preços estão nos menores níveis desde 12 de dezembro.

• Em relação à questão comercial entre Estados Unidos e China, o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, afirmou no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça a segunda fase do acordo comercial pode ser concluída antes de novembro deste ano, ainda que não tenha um prazo definido.


CHINA Um vírus recém-identificado, originário da China central, está se espalhando entre as pessoas principalmente pelo trato respiratório, disseram autoridades chinesas, aumentando a perspectiva de transmissão por tosse, beijo ou contato com saliva, com o número de mortos subindo para 17 e o de casos confirmados superando os 500. As informações são da agência de notícias "Dow Jones". O número de infecções do novo coronavírus causador de pneumonia se multiplicou nos últimos dias, com 541 casos confirmados na China até o momento, segundo a emissora estatal China Central Television e as autoridades locais da China, acima das mais de 300 anunciadas ontem.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com queda de 0,76%, sendo negociado a R$ 4,1760 para venda e a R$ 4,1740 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,1740 e a máxima de R$ 4,2060. A divisa norte-americana recuou refletindo o movimento de correção com o alívio global em relação ao surto do coronavírus após autoridades da China declararem que o combate à doença, ainda desconhecida, é prioridade máxima do país.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax