Voltar

Informativo Diário

05/08/2019

COM FORTE ALTA DO DÓLAR, PREÇOS DA SOJA AVANÇAM E BONS NEGÓCIOS SÃO REGISTRADOS NO PAÍS

Na sexta-feira, o mercado interno de soja encerrou a semana apresentando melhor movimentação nas diversas praças de negociação do país. Em um dia bastante positivo, os preços da oleaginosa avançaram significativamente no mercado doméstico. A forte alta do dólar, os ganhos de Chicago e a firmeza dos prêmios garantiram uma alta suficiente nas cotações para que um bom volume de negócios fosse registrado. Segundo informações, pelo menos 500 mil toneladas de soja trocaram de mãos ao longo do dia no país.

RS: dia de boa movimentação no mercado e preços avançando no estado. Conforme informações, cerca de 150 mil toneladas de soja gaúcha trocaram de mãos ao longo do dia. No porto de Rio Grande, houve indicações na faixa dos R$ 82 para pagamento no mês de setembro.

PR: mercado com cotações firmes e bons negócios reportados. Segundo rumores, aproximadamente 100 mil toneladas de soja paranaense foram negociadas ao longo do dia.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão e no óleo, e mistos no farelo na sexta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,38% no grão e de 1,84% no óleo, e perdas de 0,27% no farelo.

• Após três sessões de baixa e de bater no menor nível em sete semanas, o mercado esboçou uma recuperação técnica, através de compras de barganha.

• Na semana, o resultado foi negativo, com a posição novembro acumulando desvalorização de 3,6%. O clima favorável ao desenvolvimento das lavouras no cinturão produtor americano e o recrudescimento da guerra comercial entre China e Estados Unidos pesaram sobre as cotações e limitaram a recuperação de hoje.

• Ontem, o presidente americano Donald Trump anunciou uma tarifa adicional de 10% sobre o equivalente a US$ 300 bilhões em produtos chineses. Pequim prometeu retaliação. Com isso, uma possível retomada da demanda do país asiático por soja dos Estados Unidos está comprometida.


CHINA O governo da China afirmou que vai tomar as medidas necessárias se os Estados Unidos impuserem novas tarifas sobre produtos chineses no valor de US$ 300 bilhões, fato que aumentou as tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo. As informações são da agência "Dow Jones". Segundo representantes dos ministérios de Assuntos Exteriores e Comércio disseram que Pequim "se opõe com firmeza" às novas tarifas anunciadas ontem pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que vão contra o consenso alcançado no fim de junto, entre Trump e o presidente chinês, Xi Jinping. Trump declarou na quinta-feira que colocaria em marcha novas tarifas sobre produtos chineses no valor de US$ 300 bilhões, fazendo com que praticamente todas as importações chineses fiquem tarifadas.


CÂMBIO O dólar comercial fechou em alta de 1,16% no mercado à vista, cotado a R$ 3,8930 para venda, próximo à máxima do dia de R$ 3,8940 (+1,19%) - na quinta alta seguida e na maior cotação desde 17 junho, quando fechou a R$ 3,9010. A sessão foi de forte aversão ao risco nos mercados globais reagindo ao anúncio dos Estados Unidos de imposição de tarifas sobre produtos chineses e com os passos da política monetária norte-americana ainda incertos. Em semana marcada pelo corte da taxa básica de juros nos Estados Unidos, de 0,25 ponto percentual (pp) após 11 anos e aqui, na mesma magnitude - após 16 meses de estabilidade - o dólar se valorizou em 3,18%, na terceira semana seguida de alta.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax