Voltar

Informativo Diário

17/04/2020

SOJA RECUA PELO QUARTO PREGÃO CONSECUTIVO EM CHICAGO E MERCADO SEGUE TRAVADO NO PAÍS

Na quinta-feira, o mercado interno de soja esteve lento nas principais praças de negociação do país. Atingindo o menor patamar desde meados de março, a commodity enfileirou o quarto dia seguido de perdas em Chicago. Já o câmbio esteve bastante volátil e encerrou com ligeiros ganhos. Diante disso, os preços ficaram predominantemente estáveis e somente negócios pontuais foram registrados no mercado doméstico.

RS: sem alteração nas cotações e mercado pouco agitado. Na região portuária, as indicações permanecem na faixa de R$ 104 por saca CIF para embarque e pagamento em meados de junho deste ano.

PR: dia de mercado calmo e preços inalterados. Na região portuária, ainda havia possibilidade de negócios entre R$ 104 e R$ 105 por saca CIF para embarque no mês de julho e pagamento em meados de agosto deste ano.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em queda no grão e no óleo, e mistos no farelo na quinta-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,62% no grão, de 0,13% no farelo e de 0,94% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato maio/20 atingiu a máxima de US$ 8,4675 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 8,3675 por bushel, com queda de 5,25 pontos. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com perdas de até 4,75 pontos nos principais vencimentos. O vencimento julho/20 operava com perdas de 4,75 pontos, com negócios a US$ 8,47 por bushel.

• Mercado enfileirou a quarta sessão de perdas, repetindo o menor nível desde 18 de março.

• A preocupação com o enfraquecimento da demanda pela soja americana foi reforçada pelo resultado ruim das exportações semanais dos Estados Unidos.

• As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2019/20, com início em 1 de setembro, ficaram em 244.700 toneladas na semana encerrada em 9 de abril - menor patamar da temporada. Representa uma retração de 53% frente à semana anterior e um recuo de 68% ante à média das últimas quatro semanas.

• Para a temporada 2020/21, são mais 60.000 toneladas. Os analistas esperavam exportações entre 350 mil a 900 mil toneladas, somando-se as duas temporadas. As informações foram divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).


CHINA Os casos diários de infecção pelo novo coronavírus na China subiram em 46, para 82.341, mesmo número relatado ontem, segundo a Comissão Nacional de Saúde do país. Já as mortes somaram 3.342, nenhuma a mais do que ontem. Entre os novos casos, 34 são importados, ou seja, de pessoas que se contaminaram fora do país, e 12 são de transmissões locais, mostram os dados das autoridades chinesas. Nenhum novo caso foi registrado na província de Hubei, onde o vírus foi detectado pela primeira vez, em dezembro do ano passado, mantendo o número de infectados em 67.803. A província também não reportou nenhuma morte a mais, mantendo o total de óbitos em 3.221.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,22%, sendo negociado a R$ 5,2550 para venda e a R$ 5,2530 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,2030 e a máxima de R$ 5,2690. A divisa norte-americana voltou a avançar, em sessão de forte volatilidade em meio cenário mais negativo no exterior com investidores à espera do discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no qual deverá anunciar diretrizes para a reabertura da economia norte-americana. Aqui, perto do fechamento, o exministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, confirmou que foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax