Voltar

Informativo Diário

18/05/2020

MERCADO ENCERRA A SEMANA VOLÁTIL E COMERCIALIZAÇÃO REDUZ O RITMO NO PAÍS

Na sexta-feira, o mercado interno de soja encerrou a semana pouco agitado nas principais praças de negociação do país. Em mais um dia de bastante volatilidade, a commodity teve uma sessão de preços mistos e pouca movimentação. O câmbio permanece oscilando nos níveis de R$ 5,80 por dólar, enquanto em Chicago, a oleaginosa se mantém perto dos patamares de US$ 8,40 por bushel. Os prêmios continuam firmes entre US$ 0,70 e US$ 0,72 por bushel. Após garantirem bons negócios nas últimas semanas, os agentes demonstram cautela e aguardam melhores oportunidades para voltar a negociar.

RS: mercado calmo e cotações de estáveis a mais baixas. Na região portuária, as indicações estavam entre R$ 115 e R$ 117 por saca CIF para embarque e pagamento em meados de julho/agosto deste ano. Para embarque e pagamento em meados de março/abril/21, o comprador oferecia entre R$ 104 e R$ 106 por saca.

PR: não houve mudança nos preços e poucos negócios foram registrados. Na região portuária, ainda havia possibilidade de negócios entre R$ 118 e R$ 120 por saca CIF para embarque em agosto e pagamento em meados de setembro deste ano. Para embarque e pagamento em meados de abril/21, as indicações permanecem entre R$ 107,50 e R$ 108,50 por saca.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão e no óleo, e mistos no óleo sexta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,17% no grão e de 1,52% no óleo, e perdas de 0,24% no farelo. No melhor momento do dia, o contrato julho/20 atingiu a máxima de US$ 8,43 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 8,3850 por bushel, com alta de 1,5 pontos. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 5 pontos nos principais vencimentos. O vencimento agosto/20 operava com ganhos de 1,5 pontos, com negócios a US$ 8,4050 por bushel.

• O mercado foi sustentado por um movimento de cobertura de posições diante do final de semana. Os investidores repercutiram os esmagamentos norteamericanos, que vieram acima da expectativa dos analistas, sinalizando uma maior demanda pelo grão. Na semana, a posição julho caiu 1,41%.

• A Associação Norte-Americana dos Processadores de Óleos Vegetais (NOPA) informou que o esmagamento de soja atingiu 171,754 milhões de bushels em abril,ante 181,374 milhões no mês anterior. A expectativa do mercado era de 170,48 milhões.


CHINA O presidente norte-americano, Donald Trump, garantiu que a China está cumprindo sua parte no acordo comercial de primeira fase firmado entre as duas maiores economias do mundo em janeiro, embora não tenha dado detalhes sobre o assunto. "A China está comprando muitos produtos norte-americanos", disse Trump, ao ser questionado durante coletiva nos jardins da Casa Branca. "É o que posso dizer, não quero falar sobre esse assunto hoje", acrescentou ele, que discursava sobre a criação de uma operação batizada de Warp Speed para o desenvolvimento de uma vacina contra a covid-19.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,30%, sendo negociado a R$ 5,8410 para venda e a R$ 5,8390 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,7600 e a máxima de R$ 5,8770. Durante a semana, o dólar comercial registrou alta de 1,68%. A divisa norte-americana fechou leve alta, em mais uma sessão de forte volatilidade no mercado local e no exterior. Aqui, a instabilidade política ganhou mais um capítulo após o ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, pedir demissão antes de completar um mês no cargo.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax