Voltar

Informativo Diário

03/01/2020

MERCADO DE SOJA RETORNA DO FERIADO COM PREÇOS MISTOS E POUCA MOVIMENTAÇÃO NO PAÍS

Na quinta-feira, o mercado interno de soja esteve bastante lento nas principais praças de negociação do país. No retorno do feriado, a oleaginosa manteve sua tendência de alta em Chicago e registrou o terceiro pregão consecutivo de ganhos. Já a moeda norte-americana, chegou a atingir os níveis de R$ 4,00 por dólar, mas também encerrou com ligeiros ganhos. Com pouca alteração nas cotações, os agentes seguem cautelosos e movimentações mais consistentes são aguardadas apenas nas próximas semanas.

RS: cotações de estáveis a mais altas e mercado travado. Na região de Passo Fundo, as indicações estavam na faixa de R$ 86 por saca para embarque e pagamento curtos, porém sem contrapartida de vendas.

PR: dia de mercado lento e preços de estáveis a mais baixos. Na região oeste, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 83,50 por saca para embarque e pagamento curtos, porém sem contrapartida de vendas.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão, no farelo e no óleo na quinta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,13% no grão, de 0,23% no farelo e de 1,39% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato janeiro/20 atingiu a máxima de US$ 9,49 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,4425 por bushel, com alta de 1,25 pontos. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 4,25 pontos nos principais vencimentos. O vencimento março/20 operava com ganhos de 3,75 pontos, com negócios a US$ 9,5925 por bushel.

• A alta do óleo de palma na Malásia, em meio ao aperto da oferta, sustentou as cotações do óleo de soja, que liderou a elevação do complexo. A confirmação de que o acordo comercial entre China e Estados Unidos será assinado no dia 15 de janeiro também ajudou a sustentar o mercado.

• Mas os ganhos foram limitados e reduzidos no final da sessão, por conta já do movimento dos negociadores buscando um melhor posicionamento frente ao relatório de janeiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado no dia 10.


CHINA O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que a primeira fase do acordo comercial com a China será assinada no dia 15 de janeiro, na Casa Branca, e que logo em seguida começarão as negociações entre os dois países para a segunda fase do pacto. "Assinarei nossa grande e abrangente fase um do acordo comercial com a China no dia 15 de janeiro. A cerimônia será realizada na Casa Branca. Representantes de alto nível da China estarão presentes. Após essa data, irei a Pequim, onde as negociações começarão para a fase dois!", disse Trump, em mensagem no Twitter no dia 31 de dezembro. O secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, e o representante de comércio dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, já haviam dito que o acordo comercial com a China seria assinado em janeiro, e que novos detalhes do pacto seriam divulgados.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,27%, sendo negociado a R$ 4,0250 para venda e a R$ 4,0230 para compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima de R$ 4,0060 e a máxima de R$ 4,0430. A divisa norte-americana avançou influenciada pelo mercado externo onde o dólar ganhou terreno, além de ajustes na volta das festividades de fim de ano. Apesar de oscilar na abertura dos negócios, a moeda operou em alta em boa parte do pregão em meio ao baixo volume de negócios.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax