Voltar

Informativo Diário

15/08/2019

FORTE ALTA DO DÓLAR IMPULSIONA NEGÓCIOS DE SOJA NO PAÍS

Na quarta-feira, o mercado interno de soja apresentou melhor movimentação nas diversas praças de negociação do país. Com a moeda norte-americana fechando pela primeira vez acima do nível de R$ 4,00 desde o final do mês de maio, as cotações da oleaginosa voltaram a subir nas principais regiões. Entretanto, as perdas significativas em Chicago impediram uma alta mais consistente nos preços. Segundo rumores, ao menos 400 mil toneladas de soja trocaramde mãos ao longo do dia no país.

RS: registro de cotações mais altas no porto de Rio Grande. Rumores de aproximadamente 150 mil toneladas sendo movimentadas ao longo do dia no estado.

PR: mercado com preços firmes em um dia de bom volume de negociações. Segundo informações, cerca de 100 mil toneladas foram negociadas ao longo do dia no estado.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em queda no grão e no farelo, e mistos no óleo na quartafeira. Nas posições spot, as perdas foram de 1,26% no grão, de 1,61% no farelo e de 0,23% no óleo.

• O clima de maior aversão ao risco no mercado financeiro internacional - após a produção industrial da China ter vindo no menor nível desde fevereiro de 2002 - fez com que os investidores adotassem uma postura mais cautelosa,migrando das commodities para opções maisseguras.

• Fatores técnicos, novidades não tão boas sobre as negociações entre China e Estados Unidos em torno da guerra tarifária e a perspectiva de queda na demanda pela soja americana completaram o cenário negativo para as cotações.


CHINA O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou mais uma vez o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), pressionando-o a corta a taxa básica de juros do país, e defendeu a aplicação de taxas à importação de produtos chineses. "O Federal Reserve agiu rápido demais e agora está muito, muito atrasado. Muito ruim, muito a ganhar do lado positivo!", disse Trump, no Twitter. Ele concordou ainda com a afirmação de que o Fed tem que fazer alguma coisa, pois é o banco central dos Estados Unidos, não do mundo. Trump tem feito diversas críticas ao Fed e ao presidente da instituição, Jerome Powell, acusando-os de dificultar a expansão da economia do país ao manter os juros altos demais. Atualmente, a taxa básica de juros dos Estados Unidos está na faixa entre 2,00% e 2,25% ao ano.


CÂMBIO O dólar comercial fechou em forte alta de 1,78% no mercado à vista, cotado a R$ 4,0410 para venda - pela primeira vez acima do nível de R$ 4,00 desde 28 de maio, quando fechou em R$ 4,0240 - refletindo o mau humor do mercado com os sinais de desaceleração da economia global e de uma possível recessão nos Estados Unidos. Os dados da economia da China e o comportamento da curva de juros norte-americana preocuparam investidores ao longo da sessão. "A bateria ruim de indicadores tanto de China quanto na Europa foi suficiente para que o humor dos mercados azedasse novamente. Além disso, o investidor prossegue na corda bamba em relação à guerra comercial [entre Estados Unidos e China], sendo que a qualquer momento uma nova mensagem no Twitter de Trump [Donald, presidente norte-americano] pode mudar completamente o sentimento dos investidores", comenta o analista de câmbio da Correparti,Ricardo Gomes Filho.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax