Voltar

Informativo Diário

07/06/2019

DÓLAR E CHICAGO RECUAM E MERCADO DE SOJA PERMANECE POUCO AGITADO

Na quinta-feira, o mercado interno de soja seguiu calmo nas diferentes praças de negociação do país. A moeda norte-americana voltou a tocar os R$ 3,85 ao longo do pregão, e junto com a volatilidade de Chicago, manteve os preços da oleaginosa predominantemente estáveis no mercado doméstico. Diante disso, com cotações pouco atrativas, os agentes seguem distantes das negociações e demonstram maior interesse na aquisição de insumos. Segundo rumores, aproximadamente 100 mil toneladas foram negociadas na Região Sul do país.

RS: segundo informações, aproximadamente 50 mil toneladas negociadas ao longo do dia. Os preços ficaram estáveis no disponível e recuaram na safra nova.

PR: mercado segue pouco agitado e as cotações tiveram alta no porto. Conforme rumores, cerca de 30 mil toneladas foram negociadas ao longo do dia.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em queda no grão e no farelo, e em alta no óleo nesta quintafeira. Nas posições spot, perdas de 0,11% no grão e de 0,56% no farelo, e ganhos de 1,98% no óleo.

• Em dia volátil, a previsão de clima seco e favorável ao plantio nos Estados Unidos e as exportações semanais dentro do esperado pressionaram o mercado.

• As perdas só não foram maiores devido ao desempenho de outros mercados, principalmente o trigo, e também em função do posicionamento de carteiras por parte dos agentes, aguardando o relatório de junho do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Os dados serão divulgados dia 11.

• As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2018/19, com início em 1 de outubro, ficaram em 510.000 toneladas na semana encerrada em 30 de maio. Representa uma elevação de 28% frente à semana anterior e é 86% superior à média das últimas quatro semanas. Destinos desconhecidos lideraram as importações, com 214.000 toneladas.

• Para a temporada 2019/20, ficaram em 73.700 toneladas. Os analistas esperavam exportações entre 250 mil a 550 mil toneladas. As informações foram divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos(USDA).


CHINA A China divulgou um plano para impulsionar as vendas de carros, eletrodomésticos e eletrônicos como parte de seus esforços para estimular a desaceleração da economia. As informações são da agência de notícias "Dow Jones". O governo estará "concentrando-se em remover quaisquer barreiras que possam restringir o consumo", disse a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC, na sigla em inglês), a principal agência de planejamento econômico do país, em um projeto que visa promover o consumo até 2020.


CÂMBIO O dólar comercial fechou em queda de 0,33% no mercado à vista, cotado a R$ 3,8830 para venda, exibindo poucas oscilações na segunda parte dos negócios em dia mais calmo no exterior para as principais moedas de países emergentes e com investidores ainda otimistas com a política local, em meio ao julgamento sobre as privatizações de estatais que segue no Supremo Tribunal Federal (STF). Para o analista de câmbio de uma corretora local, em meio a ausência de decisões no Congresso, o dólar oscilou entre "margens estreitas, lateralizado e um tanto quanto apático", com o contrato futuro operando sem direção definida. Ele ressalta a divulgação do resultado da reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), seguido do discurso do presidente da instituição, Mario Draghi, gerou expectativa na primeira parte dos negócios.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax