Voltar

Informativo Diário

26/08/2019

DÓLAR FECHA NO MAIOR PATAMAR DO ANO E MERCADO DE SOJA ENCERRA SEMANA COM BOM VOLUME DE NEGÓCIOS

Na sexta-feira, o mercado interno de soja esteve agitado nas diferentes praças de negociação do país. A moeda norte-americana atingiu seu maior nível no ano, contribuindo e muito para a firmeza do preço da oleaginosa no mercado doméstico. Entretanto, o dia foi de perdas significativas em Chicago, impedindo uma alta mais consistente das cotações. Diante disso, segundo rumores, aproximadamente 500 mil toneladas de soja trocaram de mãos ao longo do dia no país.

RS: os preços encerraram estáveis em um mercado com registro de melhores negócios. Rumores de aproximadamente 150 mil toneladas movimentadas ao longo do dia no estado. Segundo informações, houve indicações na faixa dos R$ 90 para pagamento no final do mês de novembro no porto de Rio Grande.

PR: registro de cotações inalteradas em um mercado com bom volume de negócios. Conforme rumores, aproximadamente 100 mil toneladas de soja trocaram de mãos ao longo do dia no estado.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em queda no grão, no farelo e no óleo na sexta-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 1,48% no grão, de 1,29% no farelo e de 0,70% no óleo.

• A China vai adotar tarifas de importação ao equivalente a US$ 75 bilhões em produtos dos Estados Unidos para retaliar a decisão do governo dos Estados Unidos de sobretaxar cerca de US$ 300 bilhões em produtos chineses a partir de setembro. Segundo o Ministério de Finanças da China, as tarifas serão aplicadas em duas etapas: a primeira em 1 de setembro e a segunda em 15 de dezembro - as mesmas datas em que as tarifas aos produtos chineses anunciadas pelos Estados Unidos entrarão em vigor.

• Em contrapartida, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que irá responder às últimas tarifas impostas pela China nesta tarde. "Não precisamos da China e ficaremos bem melhor sem ela", afirmou ele em sua conta do Twitter. Segundo ele, "a China roubou trilhões de dólares durante anos dos Estados Unidos. Eles nos roubaram o equivalente a milhares de bilhões de dólares em propriedade intelectual todo ano e querem continuar".


CHINA O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que os produtos provindos da China que valem um total de US$ 250 bilhões de dólares, atualmente sendo taxados por 25% a partir de 1 de outubro, receberão uma taxa de importação de 30%. Além disso, os outros US$ 300 bilhões de dólares em produtos chineses que seriam taxados em 10% a partir de 1 de setembro, agora serão taxados em 15%. Segundo Trump, os Estados Unidos "vêm perdendo milhares de bilhões de dólares todo ano para China". "Infelizmente, administrações passadas permitiram que a China conseguisse tanta vantagem em uma relação que deveria ser balanceada e justa, o que se tornou um peso para o contribuinte norte-americano", escreveu ele em sua conta do Twitter. "Não posso deixar isso acontecer.“


CÂMBIO O dólar comercial fechou em forte alta de 1,10% no mercado à vista, cotado a R$ 4,1240 para venda, na maior cotação do ano, superando o nível de R$ 4,1050 registrado em 20 de maio. O acirramento da guerra comercial entre Estados Unidos e China ganhou novos capítulos e contaminou o mercado global com investidores avessos ao risco. Em meio ao anúncio de retaliação por parte da China, o presidente do banco central norte-americano discursou e foi rebatido pelo presidente Donald Trump. Em pregão bastante volátil, investidores foram surpreendidos logo após a abertura dos negócios com o anúncio do governo chinês de que elevará as tarifas sobre US$ 75 bilhões de produtos norte-americanos importados ao país asiático, sendo uma parte aplicada em 1 de setembro e a outra em 15 de dezembro. A moeda avançou a R$ 4,10 após a notícia.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax