Voltar

Informativo Diário

22/10/2019

COM CHICAGO E DÓLAR EM DIREÇÕES OPOSTAS, SOJA INICIA A SEMANA COM PREÇOS ESTÁVEIS E POUCA MOVIMENTAÇÃO REGISTRADA

Na segunda-feira, o mercado interno de soja iniciou a semana bastante travado nas principais praças de negociação do país. Na sessão de hoje, as cotações da oleaginosa ficaram predominantemente estáveis. Em Chicago, houve ligeiras perdas nos principais vencimentos. Em relação à moeda norte-americana, a divisa fechou com leve alta. Diante destes fatores, somente na Região Sul bons negócios foram registrados com soja. No estado do Paraná, segundo rumores, aproximadamente 100 mil toneladas de soja paranaense trocaram de mãos, enquanto no Rio Grande do Sul, ao menos 50 mil toneladas de soja foram comercializadas ao longo do dia.

RS: o mercado iniciou a semana em ritmo lento e com preços inalterados no estado. Na região das Missões, havia possibilidade de negócios na faixa dos R$ 85,50 por saca para entrega imediata e pagamento no início do mês de novembro, mas sem contrapartida de venda.

PR: cotações estáveis e negócios moderados reportados. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 91,50 por saca CIF para pagamento no mês de novembro, patamar em que foram negociadas aproximadamente 50 mil toneladas do grão.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão e no farelo, e em alta no óleo na segunda-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,08% no grão e 0,25% no farelo, e ganhos de 0,39% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato novembro/19 atingiu a máxima de US$ 9,40 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,3325 por bushel, com queda de 0,75 pontos.

• Em dia volátil, o mercado foi pressionado por fatores técnicos, com fundos e especuladores cobrindo posições vendidas.

• Na maior parte do dia, os preços tentaram se manter no território positivo, por preocupações com o clima nos Estados Unidos e pela boa demanda pela soja americana. Este cenário conseguiu limitar as perdas.

• As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 1.296.352 toneladas na semana encerrada no dia 17 de outubro, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O mercado esperava o número em 1,15 milhão de toneladas.

• Na semana anterior, as inspeções haviam atingido 955.150 toneladas. No ano passado, em igual período, o total fora de 1.217.883 toneladas. No acumulado do ano-safra, iniciado em 1 de setembro, as inspeções estão em 6.458.308 toneladas, contra 6.022.508 toneladas no acumulado do anosafra anterior.


CHINA O acordo comercial entre Estados Unidos e China não precisa ser finalizado no próximo mês, disse o secretário de Comércio dos EUA nesta segunda-feira, mesmo após o presidente norte-americano, Donald Trump, ter dito que gostaria de assiná-lo quando encontrar seu colega chinês na cúpula da Apec, informou a agência Reuters Brasil. Trump anunciou a "primeira fase" de um acordo comercial na Casa Branca em 11 de outubro, ao lado do vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, após dois dias de negociações em Washington com representantes chineses.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,29%, sendo negociado a R$ 4,1320 para venda e a R$ 4,1300 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,1180 e a máxima de R$ 4,1530. A divisa norte-americana avançou em viés de correção após forte queda no último pregão. As incertezas no exterior, que levaram a moeda estrangeira a exibir ganhos ante as moedas de países emergentes, em meio aos conflitos no Chile, corroboraram com a alta firme da divisa na sessão.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax