Voltar

Informativo Diário

18/07/2019

PREÇOS TEM MAIS UM DIA NEGATIVO E NEGÓCIOS NÃO AVANÇAM NO PAÍS

Na quarta-feira, o mercado interno de soja teve mais um dia extremamente lento nas diversas praças de negociação do país. Os preços internos oscilaram de estáveis a mais fracos, acompanhano os movimentos de Chicago e do câmbio. Os contratos futuros em Chicago tiveram a terceira sessão consecutiva de perdas, o que pressiona as cotações internas. Tal fato mantém a ponta vendedora permanece retraída a espera de uma recuperação dos preços.

RS: mercado com preços mais fracos em mais um dia de pouca movimentação. Apenas negócios com volumes pouco relevantes foram registrados.

PR: as cotações oscilaram negativamente em um mercado com negócios isolados, sem grandes movimentações.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam novamente em queda no grão, no farelo e no óleo na quarta-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,59% no grão, de 0,29% no farelo e de 1,10% no óleo. É a terceira sessão seguida em que o complexo soja recua em Chicago.

• A melhora nas condições das lavouras americanas, confirmada pelo relatório de segunda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA),segue sendo um dos principais fatores de pressão.

• O clima nos Estados Unidos também segue no foco. Apesar do calor dessa semana, a tendência é de temperaturas amenas na próxima, favorecendo a planta. Fatores técnicos e a ausência de acordo comercial entre Estados Unidos e China completam o quadro negativo.

• Tecnicamente, o mercado tem dificuldade para recuperar o patamar de US$ 9,00 na posição spot. Sem grandes novidades, a tendência é que haja uma lateralização entre as linhas de US$ 8,75 e US$ 9,10 no curto-prazo.


CHINA Os preços da carne suína provavelmente continuarão se fortalecendo durante o resto do ano, enquanto os ganhos de preços das frutas provavelmente serão moderados, disse uma autoridade chinesa. As informações são da agência de notícias "Dow Jones". A dinâmica da oferta e demanda irá apertar-se ainda mais no segundo semestre devido a um surto de gripe suína africana, criando mais pressão para cima para os preços da carne suína, disse Tang Ke, diretor do Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais, que monitora os preços de mercado. O número de porcas reprodutoras diminuiu 27% em junho em base anual, em comparação com a queda de quase 23% de maio, disse Tang. Os preços no atacado da carne de porco aumentaram quase 30% em junho em base anual, estendendo o aumento de 29% de maio, disse ele. ARGENTINA O ano de 2020 será muito bom para a Argentina, disse o ministro da Fazenda do país, Nicolás Dujovne, ao afirmar a continuidade da queda da inflação e um crescimento da economia em 3,5%. As declarações aconteceram durante sua participação na 54 Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, na cidade argentina de Santa Fe.


CÂMBIO O dólar comercial fechou em queda de 0,23% no mercado à vista, cotado a R$ 3,7620 para venda, em sessão de poucos negócios e poucas oscilações influenciado pelo mercado externo, assim como o cenário doméstico, esvaziado de notícias sobre a economia norte-americana e sobre a decisão de política monetária no país. Além da expectativa pelo início do ciclo de afrouxamento monetário, investidores acompanham os desdobramentos da guerra comercial entre norte-americanos e chineses, principalmente, após declarações do presidente Donald Trump de que os Estados Unidos podem "estar longe" de fechar acordo com o país asiático.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax