Voltar

Informativo Diário

09/12/2019

CHICAGO E DÓLAR SEGUEM EM DIREÇÕES OPOSTAS E MERCADO DE SOJA ENCERRA A SEMANA CALMO NO PAÍS

Na sexta-feira, o mercado interno de soja encerrou a semana pouco agitado nas diferentes praças de negociação do país. Na sessão de hoje, a moeda norteamericana fechou no menor valor de fechamento desde 8 de novembro e enfileirou a quinta queda consecutiva. Já em Chicago, a oleaginosa teve seu quarto pregão consecutivo de ganhos e chegou à máxima de US$ 8,94 ao longo do dia. Diante destes fatores, os preços ficaram predominantemente estáveis no mercado doméstico e poucoslotes foram comercializados.

RS: as cotações encerraram estáveis e não foram reportados negócios relevantes no estado. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 91 por saca CIF para embarque imediato e pagamento até o final do mês. Na região de Passo Fundo, as indicações permanecem na faixa de R$ 82,50 para embarque no mês de março/20 e pagamento em meados de junho/20.

PR: o mercado encerrou a semana pouco movimentado e os preços encerraram estáveis. Na região portuária, o comprador segue oferecendo R$ 90,50 por saca CIF para embarque imediato e pagamento em meados de janeiro/20, mas sem contrapartida de vendas.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão e no óleo, e em queda no farelo na sexta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,59% no grão e 2,37% no óleo, e perdas de 0,70% no farelo. No melhor momento do dia, o contrato janeiro/20 atingiu a máxima de US$ 8,94 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 8,8950 por bushel, com alta de 5,25 pontos. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 5,5 pontos nos principais vencimentos. O vencimento março/20 operava com ganhos de 5,25 pontos, com negócios a US$ 9,04 por bushel.

• A notícia de que a China estaria disposta a abrir mão da tarifa sobre o embarque alguma soja américa garantiu a sustentação.

• Na semana, a posição janeiro acumulou valorização de 1,44%, devido a compras de barganha, após o mercado ter atingido o menor nível em três meses na segunda.


CHINA O principal conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse que a conclusão da primeira fase do acordo comercial entre Estados Unidos e China está próximo. Segundo ele, as negociações entre Washington e Pequim estão em uma etapa intensa. Falando em uma entrevista à Bloomberg, Kudlow repetiu as declarações do presidente norte-americano, Donald Trump, de que o governo desistirá se um acordo eventual não for bom para os Estados Unidos.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com queda de 1,02%, sendo negociado a R$ 4,1460 para venda e a R$ 4,1440 para compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima de R$ 4,1410 e a máxima de R$ 4,1940. Na semana, o dólar comercial registrou queda de 2,24%. A divisa norte-americana encerrou no menor valor de fechamento desde 8 de novembro, quando encerrou a R$ 4,1420, refletindo o otimismo local ao longo da semana após indicadores mostrarem recuperação gradual da economia. Na sessão, correção e fluxo local levaram a divisa a renovar mínimas sucessivas na segunda parte dos negócios. Na semana, o dólar recuou 2,24% e pela segunda vez no ano, a moeda caiu nas cinco sessões.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax