Voltar

Informativo Diário

26/08/2020

ESCASSEZ DE OFERTA E CHICAGO ACIMA DE US$ 9,20 SUSTENTAM COTAÇÕES NO MERCADO DOMÉSTICO

Na terça-feira, o mercado interno de soja permaneceu pouco agitado nas diferentes praças de negociação do país. Na sessão de hoje a commodity registrou importantes ganhos em Chicago, com o contrato novembro/20 fechando acima dos patamares de US$ 9,20/bushel. O câmbio teve um dia volátil, ampliando as perdas perto do fechamento e impedindo uma alta mais consistente dos preços, que voltaram a avançar no mercado físico. A ponta vendedora permanece retraída e o comprador segue cauteloso, resultando em somente negócios pontuais reportados ao longo do dia.

RS: dia de preços firmes, porém somente negócios pontuais reportados. Na região portuária, para embarque e pagamento em meados de junho/21, rumores de negócios na faixa de R$ 120 por saca CIF, porém lotes pontuais. No interior do estado, indicações na faixa de R$ 137 por saca para embarque em setembro e pagamento em meados de outubro deste ano, mas sem contrapartida de venda.

PR: cotações mistas e negócios pontuais reportados. Para embarque e pagamento em meados de abril/21, indicações na faixa de R$ 115 por saca CIF na região de Ventania. Na região portuária, indicações na faixa de R$ 120,30 por saca para embarque e pagamento em meados de junho/21.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão, no farelo e no óleo na terça-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 1,55% no grão, de 0,86% no farelo e de 1,01% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato setembro/20 do grão atingiu a máxima de US$ 9,1475 por bushel. No final da sessão, trocou de mãos a US$ 9,1375 por bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 12,5 pontos nos principais vencimentos. O vencimento novembro/20 operava com ganhos de 12,5 pontos, com negócios a US$ 9,1825 por bushel.

• A retomada das conversas comerciais entre China e Estados Unidos, novas vendas da commodity americana e a piora nas lavouras colocaram os cotações perto das máximas do dia e no melhor nível desde o final de fevereiro.

• As notícias de que autoridades chinesas e norte-americanas voltaram a discutir a fase 1 do acordo comercial fechado entre os dois países no ano passado impulsionaram os contratos desde o início do dia.

• O sentimento de maior demanda pela soja americana foi ratificado com a venda de 204 mil toneladas para a China e de 142.500 toneladas para destinos não revelados por parte de exportadores privados.

• Completando o cenário positivo para os preços, ontem o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou piora nas condições das lavouras americanas. Segundo o USDA, até 23 de agosto, 69% estavam entre boas e excelentes condições - o mercado esperava 70% -, 23% em situação regular e 8% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os índices eram de 72%, 21% e 7%, respectivamente.


CHINA Representantes comerciais dos Estados Unidos e da China conversaram por telefone sobre a implementação do acordo de fase um entre os dois países. As discussões abordaram as mudanças estruturais ainda necessárias para que o tratado seja completo, além das recentes compras agrícolas feitas pelos chineses. "As partes conversaram sobre as medidas que a China tomou para efetuar mudanças estruturais exigidas pelo acordo que irão garantir maior proteção aos direitos de propriedade intelectual, remover impedimentos para empresas norteamericanas nas áreas de serviços financeiros e agricultura e eliminar a transferência forçada de tecnologia," disse o comunicado publicado pelo Escritório do Representante de Comércio dos Estados Unidos.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje em queda de 1,25%, cotado a R$ 5,5290 para venda, em dia de forte correção no final do pregão, após passar o dia operando perto da estabilidade, com investidores ainda cautelosos na expectativa por alguma novidade sobre o pacote econômico que será apresentado pelo governo.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax