Voltar

Informativo Diário

28/08/2020

SOJA ATINGE O MAIOR PATAMAR DESDE JANEIRO EM CHICAGO, PREÇOS SEGUEM AVANÇANDO NO FÍSICO, MAS VENDEDOR SEGUE AFASTADO

Na quinta-feira, o mercado interno de soja permaneceu travado nas diferentes praças de negociação do país. A commodity teve um dia bastante positivo em Chicago, que avançou pelo terceiro pregão consecutivo e atingiu o maior nível desde meados de janeiro deste ano. A ponta vendedora permanece aumentando as pedidas, enquanto o comprador demonstra cautela e aguarda melhores condições. Com a escassez de oferta atual, há um crescente aumento no interesse pela importação do grão.

RS: preços firmes e mercado pouco ofertado. Na região portuária, para embarque e pagamento em meados de julho/21, indicações na faixa de R$ 124 por saca CIF, porém sem contrapartida de venda. No interior do estado, indicações na faixa de R$ 140 por saca para embarque em setembro e pagamento em meados de outubro/novembro deste ano, mas as pedidas estão pelo menos entre R$ 2 e R$ 3 acima desse patamar.

PR: negócios escassos no estado e cotações avançando. Para embarque e pagamento em meados de maio/21, indicações na faixa de R$ 121,50 por saca CIF na região portuária. Na região de Toledo, indicação de compra entre R$ 138 e R$ 140 por saca para embarque imediato e pagamento em meados de novembro/dezembro deste ano. Ainda na região, para embarque no mês de fevereiro/21 e pagamento em meados de março/21, comprador indicando R$ 112 por saca


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão, no farelo e no óleo na quinta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 1,93% no grão, de 1,16% no farelo e de 3,31% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato setembro/20 do grão atingiu a máxima de US$ 9,4375 por bushel. No final da sessão, trocou de mãos a US$ 9,3725 por bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 22,5 pontos nos principais vencimentos. O vencimento novembro/20 operava com ganhos de 22,5 pontos, com negócios a US$ 9,4675 por bushel.

• O clima seco nos Estados Unidos e a forte demanda pelo produto americano colocaram os preços nos maiores patamares desde 23 de janeiro. • A falta de chuvas pode comprometer o potencial produtivo da safra americana, que não deverá ficar nos níveis projetados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

• Além disso, a procura pela oleaginosa americana segue aquecida, mesmo que nenhuma venda nova tenha sido anunciada hoje. As vendas semanais agradaram aos agentes e motivaram o movimento de compra.

• As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2019/20, com início em 1 de setembro, ficaram em 50.400 toneladas na semana encerrada em 20 de agosto. Representa uma forte avanço frente à semana anterior e uma retração de 82% ante à média das últimas quatro semanas. A Holanda liderou as importações, com 213.500 toneladas.

• Para a temporada 2020/21, foram 1.874.400 toneladas. Os analistas esperavam exportações entre 1,2 milhão a 2,4 milhões de toneladas, somandose as duas temporadas. CHINA O secretário do Comércio norte-americano, Wilbur Ross, acusou a China de permitir que o novo coronavírus se espalhasse para os Estados Unidos de maneira deliberada durante uma entrevista para a Bloomberg TV. "A gestão que a China fez do novo coronavírus não nos agradou. Assim que detectou o surto, o governo chinês proibiu viagens entre cidades chinesas, mas não impediu que os chineses viajassem aos Estados Unidos", disse ele. "Mas estou confiante de que vamos ter uma vacina e que vamos controlar esse monstro invisível", acrescentou.


CÂMBIO O dólar comercial fechou em queda de 0,74% no mercado à vista, cotado a R$ 5,5750 para venda, em sessão de volatilidade e amplitude influenciado pelo exterior após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, anunciar mudanças sobre a política monetária com foco em inflação média de 2%, o que deverá manter a taxa de juros baixa por mais tempo.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.

 





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax