Voltar

Informativo Diário

15/04/2020

SOJA TEM MAIS UM DIA DE PERDAS SIGNIFICATIVAS EM CHICAGO E MERCADO PERMANECE CALMO NO PAÍS

Na terça-feira, o mercado interno de soja permaneceu calmo nas diferentes praças de negociação do país. A commodity teve mais um dia de perdas significativas em Chicago, fechando abaixo dos níveis de US$ 8,50 por bushel. Já a moeda norteamericana, teve um dia bastante volátil e encerrou com ligeiros ganhos. Com isso, os agentes permanecem cautelosos e poucos negócios têm sido reportados com soja no país.

RS: cotações estáveis e mercado pouco movimentado. Na região portuária, as indicações permanecem na faixa de R$ 104,50 por saca CIF para embarque e pagamento em meados de junho deste ano. No total, pelo menos 10 mil toneladas de soja trocaram de mãos no estado ao longo do dia

PR: dia de queda nos preços e mercado calmo. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 104,50 por saca CIF para embarque no mês de julho e pagamento em meados de agosto deste ano.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em queda no grão, no farelo e no óleo na terça-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,84% no grão, de 0,38% no farelo e de 0,59% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato maio/20 atingiu a máxima de US$ 8,5650 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 8,47 por bushel, com queda de 7,25 pontos. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com perdas de até 6,25 pontos nos principais vencimentos. O vencimento julho/20 operava com perdas de 5,5 pontos, com negócios a US$ 8,5675 por bushel.

• O mercado foi pressionado novamente pelos temores de queda na demanda por conta dos efeitos do coronavírus sobre a economia mundial.

• As plantas de empresas produtoras de carne seguem fechando nos Estados Unidos, indicando uma redução na procura por farelo de soja. Além disso, usinas de etanol de milho também estão com problemas. A tendência, com isso, é que os produtores transfiram área destinadas inicialmente para o cereal para a soja.


CHINA O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou para baixo sua projeção para o crescimento da economia da China este ano, para 1,2%, ante projeção anterior de alta de 6,0%, divulgada em janeiro. A previsão para o ano que vem, por sua vez, foi revisada para cima, de 5,8% para 9,2%. Em 2019, a economia chinesa avançou 6,1%. Segundo o FMI, a revisão para baixo nas projeções para 2020 refletem os impactos das medidas adotadas para conter a disseminação do novo coronavírus, incialmente detectado na província chinesa de Hubei, em dezembro do ano passado. Na maioria dos países, os impactos econômicos da pandemia serão sentidos no segundo semestre, mas na China será no primeiro.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,11%, sendo negociado a R$ 5,1890 para venda e a R$ 5,1870 para compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima de R$ 5,1500 e a máxima de R$ 5,2120. A divisa norte-americana voltou a avançar, em sessão de forte volatilidade, com a moeda operando de lado em boa parte da sessão em meio ao fluxo local com baixa liquidez e com o exterior negativo para as principais moedas de países emergentes.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax