Voltar

Informativo Diário

13/10/2020

MERCADO INTERNO FECHA SEMANA COM POUCA MOVIMENTAÇÃO

Na sexta-feira, o mercado interno de soja teve mais um dia travado nas diversas praças de negociação do país. A divulgação do relatório do USDA centralizou a atenção dos players, que viram os contratos futuros registrarem valorização. Na contramão, o câmbio recuou, compensando parte dos ganhos em Chicago. Tais oscilações contrárias mantiveram as pontas compradora e vendedora retraídas, sem interesse por novos negócios. No lado dos produtores, o foco permanece sobre os trabalhos de plantio da nova safra, com as atenções redobradas frente à falta de umidade nos estados da faixa central do país que vem atrasando a semeadura.

RS: as cotações não sofreram alteração em um mercado apenas nominal. Na região portuária, indicações de compradores na casa de R$ 153 para outubro e R$ 154 para novembro CIF Rio Grande. Para a safra nova, para entrega e pagamento em maio/21, indicações de compra na faixa de R$ 134,00 por saca. No interior, indicação de compra até R$ 130,00 para maio/21.

PR: não houve reporte de negócios aparentes em um mercado com preços mistos. Para embarque e pagamento entre março/21, indicações de compra até R$ 134 por saca CIF na região portuária. Na região oeste, indicações de compra na faixa de R$ 160 por saca no mercado disponível.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam a sexta-feira em alta no grão, no farelo e no óleo. Nas posições spot, ganhos de 1,47% no grão, 1,08% no farelo e 2,73% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato novembro/20 do grão atingiu a máxima de US$ 10,79 por bushel. No final da sessão, trocou de mãos a US$ 10,65 por bushel.

• O mercado teve uma sessão focada na divulgação do relatório de oferta e demanda de outubro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que ocorreu na metade do pregão. O relatório era bastante aguardado pois eram esperados ajustes importantes nos estoques norteamericanos da nova temporada, o que já fazia com que os contratos operassem em alta antes da divulgação.

• E os ganhos foram acelerados após o USDA indicar que os estoques finais norte-americanos da temporada 2020/21 estão estimados em 290 milhões de bushels ou 7,9 milhões de toneladas. O mercado apostava em carryover de 360 milhões ou 9,8 milhões de toneladas. No relatório anterior, os estoques estavam projetados em 460 milhões de bushels - 12,5 milhões de toneladas.

• O USDA também trouxe um corte na safra norte americana de soja, projetando produção de 4,268 bilhões de bushels em 2020/21, o equivalente a 116,16 milhões de toneladas, abaixo da estimativa anterior de 4,313 bilhões ou 117,4 milhões. O mercado apostava em safra de 4,292 bilhões ou 116,8 milhões de toneladas.


CÂMBIO O dólar comercial fechou em queda de 1,10% no mercado à vista, cotado a R$ 5,5270 para venda, em sessão de bom humor aqui e no exterior com a moeda exibindo poucas oscilações na segunda parte dos negócios em meio ao volume de negócios reduzido à véspera do feriado prolongado. A expectativa de que o pacote de estímulo fiscal seja anunciado antes da eleição presidencial nos Estados Unidos, em 3 de novembro, sustentou o otimismo do mercado global.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax