Voltar

Informativo Diário

06/08/2020

SOJA TEM DIA DE PREÇOS MISTOS E POUCA MOVIMENTAÇÃO NO PAÍS

Na quarta-feira, o mercado interno de soja permaneceu lento nas diferentes praças de negociação do país. Em dia volátil, a commodity voltou a recuar em Chicago, atingindo o menor patamar em aproximadamente 1 mês. O câmbio segue instável e oscilou entre R$ 5,23 e R$ 5,32 ao longo do dia. A necessidade da indústria, combinada com um quadro de escassez de oferta, segue sustentado as cotações no mercado físico.

RS: dia de preços mistos e mercado lento. Na região portuária, para embarque no mês de abril/21 e pagamento em meados de maio/21, indicações na faixa de R$ 109 por saca CIF Rio Grande. Para embarque imediato e pagamento em meados de setembro deste ano, havia possibilidade de negócios até R$ 126 por saca CIF, porém sem contrapartida de venda.

PR: mercado pouco movimentado e cotações firmes. Para embarque em março/21 e pagamento em abril/21, indicações nominais entre R$ 108,50 e R$ 109 por saca CIF região portuária. Na região oeste do estado, indicações nominais entre R$ 118 e R$ 119 por saca para embarque imediato e pagamento em meados de setembro/outubro deste ano.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão, no farelo e no óleo na quarta-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,19% no grão e de 0,49% no farelo, e ganhos de 0,53% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato agosto/20 do grão atingiu a máxima de US$ 8,84 por bushel. No final da sessão, trocou de mãos a US$ 8,82 por bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com perdas de até 4 pontos nos principais vencimentos. O vencimento setembro/20 operava com perdas de 3,75 pontos, com negócios a US$ 8,76 por bushel.

• O mercado não sustentou os ganhos iniciais e voltou a cair, atingindo menores níveis desde 14 de julho.

• Inicialmente, o mercado recebeu suporte de um movimento de recuperação técnica e de uma nova venda de soja americana à China. Dessa vez, o volume ficou em 192 mil toneladas.

• Mas ao longo do dia o mercado voltou a ser pressionado pela perspectiva de safra cheia nos Estados Unidos, com os boletins indicando condições meteorológicas favoráveis ao desenvolvimento das lavouras. O sentimento é que a safra americana ficará acima das estimativas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

• As tensões geopolíticas entre China e Estados Unidos e as perspectivas de ampla oferta também no Brasil na próxima temporada completaram o cenário baixista. SAFRAS divulgou seu quadro de oferta e demanda e indicou exportações de 81 milhões de toneladas em 2020 e de 83 milhões em 2021.


CHINA Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 192.000 toneladas de soja para a China. A entrega está programada para a temporada 2020/21. Toda operação envolvendo a venda de volume igual ou superior a 100 mil toneladas do grão, feita para o mesmo destino e no mesmo dia, tem que ser reportada ao USDA.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje em alta de 0,17%, sendo negociado a R$ 5,2990 pra venda, refletindo a cautela dos investidores com o lado fiscal do Brasil, enquanto, por outro lado, há um certo otimismo de que republicanos e Democratas cheguem a um acordo o quanto antes para a aprovação do pacote de estímulos aos Estados Unidos no montante de US$ 1,0 trilhão.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax