Voltar

Informativo Diário

30/10/2019

COM CHICAGO E DÓLAR EM DIREÇÕES OPOSTAS, PREÇOS DA SOJA TÊM OSCILAÇÃO MISTA E A COMERCIALIZAÇÃO SEGUE EM RITMO LENTO NO PAÍS

Na terça-feira, o mercado interno de soja permaneceu calmo nas principais praças de negociação do país. A oleaginosa teve um dia bastante volátil em Chicago e encerrou com ligeiras perdas. Em relação à moeda norte-americana, a divisa fechou com leves ganhos, trazendo oscilação mista para os preços e mantendo o ritmo lento das negociações.

RS: dia de preços mais altos no porto, mas sem registro de negócios relevantes no estado. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 88,50 por saca CIF para embarque imediato e pagamento em meados de novembro, mas sem contrapartida de venda.

PR: os preços tiveram oscilação mista no estado e não foram reportados negócios relevantes no estado. Na região de Ponta Grossa, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 85 por saca CIF para pagamento curto, porém sem contrapartida de venda.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão e no farelo, e em alta no óleo na terça-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,27% no grão e 0,32% no farelo, e ganhos de 0,71% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato novembro/19 atingiu a máxima de US$ 9,2525 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,1825 por bushel, com queda de 2,5 pontos. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com perdas de até 4 pontos nos principais vencimentos. O vencimento março/20 recuava 3,5 pontos, com negócios a US$ 9,4425 por bushel.

• Em sessão volátil, o mercado oscilou entre os territórios positivo e negativo. Apesar do maior otimismo de que a fase 1 do acordo entre os Estados Unidos e a China seja fechado, há dúvidas sobre o aumento consistente da demanda chinesa. O mercado também foi pressionado pelo bom andamento da colheita norte-americana. O percentual ficou dentro do esperado, mas mostrou um bom ritmo nos trabalhos.

• O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução colheita das lavouras de soja. Até 27 de outubro, a área colhida estava apontada em 62%. Em igual período do ano passado, a colheita era de 69%. A média é de 78%. Na semana anterior, estava em 46%. O mercado apostava em número de 62%.


CHINA Os Estados Unidos estão considerando prolongar por um ano a isenção de tarifas à US$ 34 bilhões em produtos importados da China, de acordo com Escritório de Representação Comercial norte-americano, em comunicado divulgado ontem à noite. As isenções foram concedidas em dezembro do ano passado e devem expirar em 28 de dezembro de 2019. As tarifas foram aplicadas em julho de 2018, quando os Estados Unidos passaram a cobrar uma tarifa de 25% sobre quase 1 mil produtos chinesesimportados no valor de US$ 34 bilhões.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão com alta de 0,25%, sendo negociado a R$ 4,0030 para venda e a R$ 4,0010 parta compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima de R$ 3,9850 e a máxima de R$ 4,0050. A divisa norte-americana avançou em sessão de cautela e ajustes antes das decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norteamericano) e do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), além de uma agenda de indicadores pesada.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax