Voltar

Informativo Diário

13/01/2020

EM DIA DE USDA, PREÇOS DA SOJA FICAM ESTÁVEIS E POUCA MOVIMENTAÇÃO É REGISTRADA NO PAÍS

Na sexta-feira, o mercado interno de soja encerrou a semana pouco agitado nas diversas praças de negociação do país. Em dia de relatório de janeiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), em uma sessão marcada pela volatilidade, a commodity fechou com ligeiros ganhos em Chicago. Já a moeda norte-americana voltou a avançar após inverter o sinal nos minutos finais do pregão. Com preços predominantemente estáveis no mercado doméstico, os negócios permanecem limitados a volumes pouco relevantes. A comercialização da safra 2019/20 está estimada em aproximadamente 43,1% no país.

RS: sem alteração nas cotações e mercado encerrando a semana calmo. Na região portuária, as indicações permanecem na faixa de R$ 89,50 por saca CIF para embarque no mês de abril/21 e pagamento em maio/21, porém poucos lotes foram comercializados. A comercialização da safra 2019/20 está estimada em aproximadamente 23%.

PR: dia de cotações inalteradas e poucos negócios registrados. Na região oeste, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 84 por saca para embarque no mês de janeiro/21 e pagamento em março/21, porém poucos lotes foram comercializados.

CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão e no farelo, e em queda no óleo na sexta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,13% no grão e de 0,84% no farelo, e perdas de 0,81% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato janeiro/20 atingiu a máxima de US$ 9,3550 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,35 por bushel, com alta de 1,25 ponto. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com perdas de até 1,5 pontos nos principais vencimentos. O vencimento março/20 operava com ganhos de 0,25 ponto, com negócios a US$ 9,4375 por bushel.

• Em dia de muita volatilidade, o mercado se ajustou tecnicamente, elevando a valorização semanal para a casa de 0,50%. O relatório do USDA, apesar de baixista, não impactou sobre as operações.

• O relatório de janeiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou safra de soja americana acima do previsto em dezembro e também superior à previsão do mercado.

• A produção 2019/20 está estimada em 3,558 bilhões de bushels, ou 96,83 milhões de toneladas, contra 3,550 bilhões da estimativa anterior - 96,62 milhões de toneladas. A previsão do mercado era de 3,52 bilhões de bushels ou 95,8 milhões de toneladas.

• Os estoques finais em 2019/20 estão projetados em 475 milhões de bushels, o equivalente a 12,93 milhões de toneladas, enquanto o mercado apostava em número em torno de 11,76 milhões. No relatório anterior, a previsão era de 475 milhões de bushels.

• A previsão para as exportações americanas seguiu em 1,775 bilhão de bushels. O esmagamento está projetado em 2,105 bilhões de bushels, também sem alteração.

• O relatório projetou safra mundial de soja em 2019/20 de 337,7 milhões de toneladas. No relatório anterior, a previsão era de 337,5 milhões.

• Os estoques finais estão estimados em 96,7 milhões de toneladas. O mercado esperava por estoques finais de 95,7 milhões de toneladas. Em dezembro, a previsão era de 96,4 milhões.

• A projeção do USDA aposta em safra americana de 96,8 milhões de toneladas, contra 96,6 milhões projetados em dezembro. Para o Brasil, a previsão é de uma produção de 123 milhões de toneladas. A Argentina deverá produzir 53 milhões de toneladas, números também inalterados.

• A estimativa para as importações chinesas em 2019/20 foi mantida em 85 milhões de toneladas. No ano anterior, o número foi de 82,54 milhões de toneladas.


CHINA O secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, garantiu a efetividade das sanções impostas pelos Estados Unidos ao Irã, afirmando que apoiadores de Teerã como Rússia e China não estão ajudando o regime com a compra de produtos cujos setores estão na lista negra de Washington. rodada de sanções contra os iranianos.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,26%, sendo negociado a R$ 4,0970 para venda e a R$ 4,0950 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,0630 e a máxima de R$ 4,10. Na semana, o dólar registrou avanço de 1,01%. A divisa norte-americana voltou a avançar após inverter o sinal nos minutos finais do pregão com um fluxo pontual de compra à véspera do fim de semana. A moeda chegou à máxima de R$ 4,10 na sessão, no maior valor intraday desde 16 de dezembro, quando bateu a máxima de R$ 4,1050.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax