Voltar

Informativo Diário

02/07/2020

APESAR DA ALTA DE CHICAGO, DÓLAR TEM FORTE QUEDA E MERCADO TEM DIA CALMO

Na quarta-feira, o mercado brasileiro de soja esteve calmo nas diversas praças de negociação do país. Ainda digerindo o relatório altista do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a commodity teve mais um dia de avanço significativo e encostou nos níveis de US$ 9,00 por bushel em Chicago. Já o câmbio fechou com forte queda, atingindo os patamares de R$ 5,31 por dólar ao longo da sessão. Com os principais referenciais em direções opostas, as cotações tiveram pouca alteração no mercado físico e não foram reportados negócios significativos ao longo do dia.

RS: preços de estáveis a mais baixos e pouca movimentação reportada. Na região portuária, para embarque em abril/maio/21 e pagamento em meados de junho/21, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 108 por saca CIF Rio Grande. Para embarque e pagamento em meados de agosto/setembro deste ano, o comprador apontava entre R$ 118 e R$ 119.

PR: dia de pouca movimentação e cotações inalteradas. Para embarque e pagamento em junho/21, as indicações permanecem entre R$ 108,50 e R$ 109,50 por saca CIF região portuária. Para embarque e pagamento em outubro deste ano, o comprador segue sinalizando entre R$ 119 e R$ 120 CIF Paranaguá.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão, no farelo e no óleo na quarta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 1,07% no grão, de 2,23% no farelo e 0,82% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato julho/20 do grão atingiu a máxima de US$ 8,9850 por bushel. No final da sessão, trocou de mãos a US$ 8,9375 por bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 17 pontos nos principais vencimentos. O vencimento agosto/20 operava com ganhos de 11,25 pontos, com negócios a US$ 8,90 por bushel.

• O mercado foi impulsionado ainda pelo relatório altista divulgado ontem pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). A previsão de clima seco para os próximos dias no cinturão produtor americano completou o cenário de alta.

• Ontem, o USDA surpreendeu ao indicar área plantada nos Estados Unidos em 2020 bem abaixo do esperado. A estimativa para o milho também ficou aquém do esperado, sustentando o cereal e trazendo junto as commodities vizinhas - soja e trigo.


CHINA A Organização Mundial de Saúde (OMS) minimizou a divulgação, nesta semana, de uma variedade da gripe suína que teria potencial de provocar uma nova pandemia, afirmando que a cepa já vinha sendo estudada há anos dentro de um esforço de pesquisa global. "Temos que ter atenção a essa variedade, mas é importante dizer que ela não é nova. Já era conhecida dos nossos pesquisadores ao redor do mundo. O que aconteceu foi a divulgação desse estudo", afirmou o diretor do programa de emergência da OMS, Mike Ryan, em coletiva de imprensa.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 2,17%, sendo negociado a R$ 5,3180 para venda e a R$ 5,3160 para compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima R$ 5,3100 e a máxima de R$ 5,4750.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax