Voltar

Informativo Diário

13/11/2019

SOJA TEM DIA DE PREÇOS MISTOS E MERCADO CALMO NO PAÍS

Na terça-feira, o mercado interno de soja permaneceu calmo nas diversas praças de negociação do país. A moeda norte-americana segue avançando e atingiu a máxima de R$ 4,1890 ao longo do pregão. Em Chicago, a oleaginosa teve um dia bastante volátil, encerrando quase estável. Já os prêmios tiveram alta e fecharam entre US$ 0,90 e US$ 1,00 por bushel. Após boas vendas na semana anterior, os agentes aguardam melhores condições e poucamovimentação tem sido reportada.

RS: os preços avançaram no estado, mas os negócios permanecem calmos. Na região portuária, havia possibilidade de negócios a R$ 91,50 por saca para embarque imediato e pagamento no mês de janeiro/20, mas sem contrapartida de venda.

PR: dia de preços mistos e sem registro de negócios relevantes no estado. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 90 por saca para embarque imediato e pagamento no final do mês, mas poucos lotes foram comercializados nesses níveis.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão, em alta no farelo e em queda no óleo na terça-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,08% no grão e 0,56% no farelo, e perdas de 1,24% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato novembro/19 atingiu a máxima de US$ 9,0925 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,0575 por bushel, com alta de 0,75 pontos. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 2 pontos nos principais vencimentos. O vencimento março/20 operava com queda de 0,75 pontos, com negócios a US$ 9,2975 por bushel.

• A sessão de hoje foi bastante volátil, com o mercado aguardando novidades sobre o andamento das negociações sobre um possível acordo entre China e Estados Unidos.

• O presidente norte-americano, Donald Trump, disse que a primeira fase de um acordo comercial entre Estados Unidos e a China está perto de ser fechada, mas não forneceu prazos ou o local da assinatura do pacto parcial.

• Trump lembrou que o acordo comercial entre Estados Unidos e China chegou a ser firmado, mas os chineses desistiram na última hora. "O acordo estava pronto, os pontos mais difíceis tinham sido negociados. Semanas antes da assinatura, a China disse que não poderia aceitar alguns itens desse pacto", disse.


CHINA O presidente norte-americano, Donald Trump, disse que a primeira fase de um acordo comercial entre Estados Unidos e a China está perto de ser fechada, mas não forneceu prazos ou o local da assinatura do pacto parcial. "A China está morrendo por um acordo, mas são os Estados Unidos que decidirão se querem um acordo ou não. Só assinaremos um pacto que favoreça nossas empresas e nossos trabalhadores", disse Trump. "Estou satisfeito com os bilhões de dólares que entraram nos nossos cofres via tarifas", acrescentou.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,62%, sendo negociado a R$ 4,1680 para venda e a R$ 4,1660 para compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima de R$ 4,1440 e a máxima de R$ 4,1890. A divisa norte-americana devolveu toda a queda registrada ontem após subir três pregões seguidos, influenciada pelo viés de cautela dos investidores à espera do discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre o andamento do acordo comercial com a China, enquanto a forte desvalorização do peso chileno, em meio aos conflitos políticos no país, contaminoumoedas da América Latina.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax