Voltar

Informativo Diário

01/10/2019

SOJA TEM FORTE ALTA EM CHICAGO, PREÇOS AVANÇAM E NEGÓCIOS MODERADOS FORAM REGISTRADOS NO PAÍS

Na segunda-feira, o mercado interno de soja iniciou a semana com movimentação razoável nas diferentes praças de negociação do país. Com ganhos de até 23 pontos nos principais vencimentos em Chicago, as cotações da oleaginosa avançaram significativamente no mercado doméstico. A moeda norte-americana encerrou praticamente estável, sem exercer grande influência nos preços. Diante destes fatores, um volume razoável de negócios foi registrado ao longo do dia. Segundo informações, ao menos 200 mil toneladas de soja trocaram de mãos na sessão de hoje.

RS: dia de alta nas cotações, mas o mercado inicia a semana ainda pouco movimentado. Na região portuária, houve indicações na faixa dos R$ 88,50 para pagamento e entrega no mês de novembro. Segundo rumores, cerca de 30 mil toneladas negociadas na sessão de hoje.

PR: houve alta nas cotações, mas somente negócios pontuais seguem sendo reportados. Em Paranaguá, houve indicações na faixa dos R$ 88 para o mês de novembro. Conforme informações, ao menos 30 mil toneladas de soja trocaram de mãos ao longo do dia no estado.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão e no óleo, e mistos no farelo na segunda-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 2,40% no grão, 2,06% no farelo e de 1,29% no óleo.

• Na posição novembro, a oleaginosa superou a marca de US$ 9,00 por bushel e fechou no maior nível desde 24 de julho deste ano.

• Novembro subiu 4% no mês de agosto, a queda trimestral ficou em 1,93%. Hoje, o mercado encontrou sustentação no excesso de chuvas no final de semana nos Estados Unidos, atrasando o início da colheita, e no relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que indicou estoques em 1 de setembro abaixo do esperado pelo mercado.

• Os estoques trimestrais de soja em grão dos Estados Unidos, na posição 1o de setembro, totalizaram 913 milhões de bushels, conforme relatório do USDA. O volume estocado subiu 108% na comparação com igual período de 2018.

• O número ficou abaixo da expectativa do mercado, de 980 milhões de bushels. Do total, 265 milhões de bushels estão armazenados com os produtores, com ganho de 162%. Os estoques fora das fazendas somam 648 milhões de bushels, com alta de 92%.

• O USDA também revisou a estimativa para a safra 2019 dos Estados Unidos, agora em 4,428 bilhões de bushels, 116 milhões de bushels abaixo da previsão anterior.


CHINA O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que o país está vencendo a guerra comercial com a China, e reiterou que Pequim não deveria ter rompido o acordo sobre comércio alcançado entre as duas nações. "Estamos vencendo e venceremos. Eles não deveriam ter quebrado o acordo que tínhamos com eles. Feliz aniversário China!", disse Trump em mensagem no Twitter, um dia antes do início das comemorações pelos 70 anos da fundação da República Popular da China. Na mensagem, o presidente citou Jonathan Ward, autor e especialista em China. Segundo Ward, "depois de muitos anos, os Estados Unidos estão finalmente acordando para os planos e ambições de Pequim de nos tornar a superpotência econômica e militar dominante no século XXI. O que está acontecendo agora é que os Estados Unidos estão finalmente respondendo (obrigado presidente Trump). Isso está ocorrendo no comércio, está tomando forma na competição militar".


CÂMBIO O dólar comercial fechou praticamente estável (-0,02%) no mercado à vista, cotado a R$ 4,1560 para venda, em dia de forte volatilidade no último pregão do mês, influenciado pela formação de preço da taxa Ptax - média das cotações apurada pelo Banco Central (BC) - de fim de mês, além da liquidez reduzida à véspera de um trimestre. Com isso, a moeda estrangeira encerra setembro com valorização de 0,31%.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax