Voltar

Informativo Diário

20/01/2020

SOJA ENCERRA A SEMANA COM PREÇOS PREDOMINANTEMENTE ESTÁVEIS E POUCOS NEGÓCIOS REGISTRADOS NO PAÍS

Na sexta-feira, o mercado interno de soja encerrou a semana em ritmo lento nas principais praças de negociação do país. Em mais um dia de bastante volatilidade, os preços da oleaginosa permaneceram sem direção definida no país. Em Chicago, a commodity operou boa parte do pregão no campo negativo e acabou fechando com ganhos significativos. Já o dólar, chegou a encostar novamente nos níveis de R$ 4,20, mas perdeu força e fechou com queda considerável. Diante disso, os negócios permanecem limitados a volumes pouco relevantes. Os trabalhos de colheita tiveram avanço moderado na semana e chegam a 1,5% da área total esperada.

RS: preços firmes e mercado calmo. Na região portuária, as indicações estavam na faixa de R$ 90,50/saca CIF para embarque e pagamento no mês de junho e R$ 89,50 para abril, porém poucos lotes foram comercializados.

PR: mercado pouco agitado no estado e cotações estáveis. Na região portuária, o comprador sinalizava R$ 91/saca CIF para embarque no mês de fevereiro/21 e pagamento em março/21, mas sem registro de negócios relevantes. Com avanço modesto, os trabalhos de colheita atingem 1% da área prevista para o estado.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão e no óleo, e mistos no farelo na sexta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,62% no grão e de 0,96% no óleo. O farelo encerrou estável. No melhor momento do dia, o contrato março/20 atingiu a máxima de US$ 9,3350 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,2975 por bushel, com alta de 5,75 pontos. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com perdas de até 1 ponto nos principais vencimentos. O vencimento maio/20 operava estável, com negócios a US$ 9,3725 por bushel.

• Em sessão volátil, o mercado sustentou um movimento de consolidação frente às recentes perdas. A forte alta do milho concedeu suporte às cotações. No acumulado da semana, a posição março para o grão caiu 1,72%.

• A semeadura de soja na Argentina na temporada 2019/2020 está estimada em 94% até o dia 16 de janeiro, informou o Ministério da Agroindústria da Argentina. Em igual período do ano passado, o plantio estava em 98%. Na semana anterior, o percentual era de 92%.

• A área para 2019/20 está projetada em 17,171 milhões de hectares, ante 17,013 milhões de hectares na temporada anterior.


CHINA O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 6,1% em 2019, seu menor nível em 29 anos e dentro da meta do governo, de manter o crescimento entre 6% e 6,5%. Em 2018, a economia chinesa havia avançado 6,6%. Os dados são do departamento oficial de estatísticas do país. No quarto trimestre de 2019, o PIB chinês cresceu 6% ante o mesmo período do ano anterior, mesma alta do terceiro trimestre e mantendo seu menor nível desde o primeiro trimestre de 1992. Em base trimestral, o PIB da China aumentou 1,5% no quarto trimestre. Segundo o departamento de estatísticas, em comunicado, a economia chinesa se manteve "estável em geral" em 2019, mesmo "diante da complicada situação de crescentes riscos e desafios domésticos e no exterior".


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com queda de 0,62%, sendo negociado a R$ 4,1640 para venda e a R$ 4,1620 para compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima de R$ 4,1620 e a máxima de R$ 4,1950. Na semana, o dólar registrou avanço de 1,63%. A divisa norte-americana recuou em sessão de forte oscilação, mas com viés de queda. Na reta final dos negócios, a moeda acelerou as perdas renovando mínimas sucessivas acompanhando o movimento da moeda no exterior no qual perdeu valor para moedas de países emergentes.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax