Voltar

Informativo Diário

31/12/2019

SOJA FECHA COM FORTE ALTA EM CHICAGO, MAS DÓLAR RECUA E PREÇOS FICAM INALTERADOS NO PAÍS

Na segunda-feira, o mercado interno de soja iniciou a semana lento nas principais praças de negociação do país. A commodity teve um dia bastante positivo em Chicago, atingindo a máxima de US$ 9,41 ao longo do pregão. Entretanto, a moeda norte-americana segue sua tendência de queda e se aproxima dos R$ 4 por dólar. Diante disso, com preços pouco atrativos e com as celebrações do Réveillon se aproximando, as cotações ficam estáveis no mercado doméstico e a comercialização segue em ritmo lento no país.

RS: sem alteração nas cotações e mercado pouco agitado. Na região de Passo Fundo, as indicações permanecem na faixa de R$ 86 por saca para embarque imediato e pagamento no final do mês de janeiro/20, porém sem contrapartida de vendas.

PR: dia de preços inalterados e sem registro de negócios relevantes. Na região oeste, as indicações seguem na faixa de R$ 84 por saca para embarque imediato e pagamento em meados de janeiro/20, porém sem contrapartida de vendas.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão, no farelo e no óleo na segunda-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 1,07% no grão, de 0,71% no farelo e alta de 1,26% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato janeiro/20 atingiu a máxima de US$ 9,41 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,3950 por bushel, com alta de 10 pontos. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 9,25 pontos nos principais vencimentos. O vencimento março/20 operava com ganhos de 9,25 pontos, com negócios a US$ 9,5075 por bushel.

• Os sinais de aquecimento da demanda chinesa pela soja americana sustentaram aos preços.

• As mais recentes informações indicam que a assinatura do acordo entre China e Estados Unidos, fechado no início do mês, deverá acontecer dentro de uma semana. Hoje, a China aprovou uma variedade soja modificada geneticamente dos Estados Unidos.

• O resultado das inspeções de exportação semanais dos Estados Unidos ficou um pouco abaixo do esperado, mas sem prejudicar a trajetória de alta. O número do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) ficou em 911,4 mil toneladas. O mercado esperava 1,05 milhão de toneladas.


CHINA A China aprovou nesta segunda-feira mais dois produtos agrícolas geneticamente modificados dos Estados Unidos (um tipo de semente de soja e mamão), o que pode impulsionar as compras chinesas de mercadorias norteamericanas, informou o Ministério da Agricultura. Além disso, a China renovou licenças para outras dez culturas.


CÂMBIO O dólar comercial terminou o pregão à vista em queda de 0,91%, a R$ 4,0140 para a venda, com mínima de R$ 4,0110 e máxima de R$ 4,0450 ao longo da sessão. Com isto, a moeda norte-americana acumulou alta de 3,5% em 2019 e de 4,5% no segundo semestre deste ano, mas teve queda de 3,4% no quarto trimestre e de 5,4% em dezembro. A moeda norte-americana recuou seguindo o movimento da moeda norteamericana nos mercados globais, motivado principalmente por apostas de redução na tensão entre Estados Unidos e China e pela expectativa de que os dois países assinarão um acordo comercial preliminar em janeiro.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax