Voltar

Informativo Diário

25/09/2019

SOJA TEM DIA DE PREÇOS MISTOS E MELHORES NEGÓCIOS REGISTRADOS NO SUL

Na terça-feira, o mercado interno de soja esteve calmo nas principais praças de negociação do país. Somente no Sul do país lotes significativos foram negociados, onde aproximadamente 260 mil toneladas trocaram de mãos. Em Chicago, a oleaginosa encerrou com ligeiros ganhos. Entretanto, o dólar fechou praticamente estável e os prêmios recuaram. Diante disso, as cotações tiveram oscilação mista no mercado doméstico.

RS: dia de preços firmes e melhores negócios reportados. Na região portuária, houve indicações na faixa dos R$ 87,50 para pagamento e entrega no mês de novembro. Segundo informações, cerca de 200 mil toneladas de soja trocaram de mãos no estado ao longo do dia, sendo metade safra nova.

PR: cotações em alta e melhor movimentação registrada no estado. Rumores de aproximadamente 60 mil toneladas movimentadas ao longo do dia no estado. No porto de Paranaguá, houve indicações na faixa dos R$ 88 para o fim do mês de outubro.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão e no farelo, e em alta no óleo na terça-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,19% no grão, 0,30% no farelo e de 0,03% no óleo.

• A China isentou de tarifa a compra de um bom volume de soja americana por empresas do país asiático. O novo sinal de avanço nas negociações entre os dois países assegurou a elevação.

• Informações veiculadas pela agência Bloomberg dão conta que a China liberou de tarifas a importação de 2 milhões a 3 milhões de toneladas. Os chineses teriam adquirido recentemente cerca de 1,2 milhão de toneladas de soja americana.

• O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou ontem dados sobre as condições das lavouras americanas de soja. Segundo o USDA, até 22 de setembro, 54% estavam entre boas e excelentes condições, 33% em situação regular e 13% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os índices eram de 54%, 32% e 14%, respectivamente.


CHINA O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que busca uma relação comercial justa com a China, e que a Organização Mundial do Comércio (OMC) precisa de mudanças drásticas devido às violações de Pequim. "Temos a campanha ambiciosa de reformar o comércio internacional", afirmou Trump, em discurso na Assembleia geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Segundo ele, por décadas o sistema comercial global foi explorado facilmente por nações agindo de má fé. "Queremos um equilíbrio comercial, tanto justo quanto recíproco", disse. Trump disse que a principal preocupação com o comércio é a China, que entrou na OMC em 2001 e prometeu realizar uma série de reformas, o que não aconteceu. "A OMC precisa de mudanças drásticas", acrescentou.


CÂMBIO O dólar comercial fechou com ligeira queda de 0,04% no mercado à vista, cotado a R$ 4,1700 para venda, depois de oscilar em boa parte do pregão próximo à estabilidade e operar sem rumo definido na parte dos negócios refletindo as incertezas do mercado doméstico após o adiamento da votação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no Senado para a semana que vem. "Foi motivo para a mudança de humor dos investidores que venderam bolsa e se refugiaram na moeda estrangeira", comenta o diretor do Correparti, Ricardo Gomes. "A presidente da CCJ [no senado], Simone Tebet, admitiu erro de estratégia na condução dos trabalhos e chegou a sinalizar que a votação em plenário poderia ser adiada", reforça.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax