Voltar

Informativo Diário

02/06/2020

DÓLAR INICIA A SEMANA FIRME E PREÇOS AVANÇAM NO MERCADO INTERNO

Na segunda-feira, o mercado interno de soja iniciou a semana calmo nas diferentes praças de negociação do país. Ainda com forte volatilidade, o câmbio chegou a ultrapassar os níveis de R$ 5,40 por dólar ao longo do dia, mantendo os preços firmes no mercado doméstico. Os prêmios permanecem firmes, com o vencimento agosto/20 entre US$ 1,20 e US$ 1,25 por bushel. Em Chicago, a commodity operou durante boa parte do dia com leve alta, fechando perto da estabilidade. Com preços pouco atrativos, somente negócios pontuais têm sido reportados.

RS: cotações de estáveis a mais altas e pouca movimentação no estado. Na região portuária, para embarque e pagamento em meados de abril/maio/21, as indicações estão entre R$ 102 e R$ 103 por saca. Para embarque e pagamento em meados de julho/agosto deste ano, o comprador sinaliza entre R$ 111 e R$ 112, porém somente negócios pontuais foram reportados.

PR: negócios escassos e preços firmes. Para embarque e pagamento em meados de março/abril//21, as indicações estavam na faixa de R$ 103 por saca CIF. Para embarque e pagamento em meados de julho/agosto deste ano, o comprador aponta entre R$ 111 e R$ 112.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão, em queda no farelo e em alta no óleo na segunda-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,02% no grão e de 0,03% no farelo, e ganhos de 0,80% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato julho/20 atingiu a máxima de US$ 8,49 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 8,4050 por bushel, com queda de 0,25 ponto. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 6,75 pontos nos principais vencimentos. O vencimento agosto/20 operava com ganhos de 5,5 pontos, com negócios a US$ 8,4450 por bushel.

• O dia foi de muita volatilidade.

• O mercado iniciou o dia no território negativo, pressionado pela informação de que o governo chinês havia pedido a interrupção das compras nos Estados Unidos, devido às tensões geopolíticas. Posteriormente, rumores de que já haviam ao menos três carregamentos de soja americana agendada para o mercado chinês elevou as cotações.

• Perto do final, o mercado começou a operar perto da estabilidade, avaliando o resultado ruim das inspeções de exportação e o cenário financeiro mais positivo.

• As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 396.387 toneladas na semana encerrada no dia 28 de maio, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Analistas esperavam o número em 475 mil toneladas.


CHINA A China deve suspender algumas compras de produtos agrícolas como soja e carne de porco dos Estados Unidos, informou a Reuters. As informações são da agência de notícias "Dow Jones". Pequim instruiu empresas estatais a parar de comprar grãos de soja e carne de porco americanas em retaliação à decisão do governo do presidente norte-americano, Donald Trump, na semana passada de encerrar o status especial de Hong Kong que lhe permite prosperar como um centro de comércio e finanças globais.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou em alta de 0,93%, sendo negociado a R$ 5,3870 para venda e a R$ 5,3850 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3130 e a máxima de R$ 5,4210. A divisa norte-americana fechou com avanço significativo, em sessão de forte volatilidade e intervenção do Banco Central (BC) após a moeda operar acima dos R$ 5,40. Descolada do exterior, a moeda local foi uma das que mais perdeu na sessão com correções técnicas após forte queda na semana passada, além do movimento de cautela em meio ao cenário político e com as tensões entre Estados Unidos e China.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax