Voltar

Informativo Diário

07/08/2020

DÓLAR AVANÇA, PREÇOS DA SOJA SEGUEM FIRMES E MELHORES NEGÓCIOS SÃO REGISTRADOS NO PAÍS

Na quinta-feira, o mercado interno de soja apresentou melhor movimentação nas principais praças de negociação do país. Com o câmbio avançando significativamente e atingindo os níveis de R$ 5,37 por dólar ao longo da sessão, as cotações voltaram a subir no mercado físico. No interior dos estados as indicações de compra chegam a R$ 121 por saca no disponível, mas as pedidas estão na casa dos R$ 123. Na safra nova, rumores de negócios ocorrendo na faixa de R$ 100 por saca. Diante da escassez de soja disponível, melhores negócios foram reportados na safra nova, onde pelo menos 50 mil toneladas de soja trocaram de mãos ao longo do dia no país.

RS: preços firmes no estado, porém a ponta vendedora segue retraída. Na região portuária, para embarque no mês de abril/21 e pagamento em meados de maio/21, indicações na faixa de R$ 109 por saca CIF Rio Grande. Para embarque imediato e pagamento em meados de setembro deste ano, havia possibilidade de negócios até R$ 127 por saca CIF, porém sem contrapartida de venda.

PR: dia de alta nas cotações e mercado lento. Para embarque em março/21 e pagamento em abril/21, indicações na faixa de R$ 111 por saca CIF região portuária. Na região oeste do estado, indicações nominais entre R$ 120 e R$ 121 por saca para embarque imediato e pagamento em meados de setembro/outubro deste ano, porém as pedidas estavam na faixa de R$ 123 por saca.


CHICAGO(CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em queda no grão e no farelo, e mistos no óleo na quinta-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,14% no grão, de 0,57% no farelo e de 0,57% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato agosto/20 do grão atingiu a máxima de US$ 8,86 por bushel. No final da sessão, trocou de mãos a US$ 8,8075 por bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 1 ponto nos principais vencimentos. O vencimento setembro/20 operava com perdas de 0,75 ponto, com negócios a US$ 8,7550 por bushel.

• O mercado iniciou o dia pressionado pelo clima favorável nos Estados, mas sinais de demanda fizeram as cotações mudarem de direção. Ao final do dia, as cotações se consolidaram e o mercado encerrou no território negativo.

• As condições climáticas seguem sinalizando a colheita de uma produção recorde pelos americanos, acima das atuais projeções oficiais. Em contrapartida, as exportações semanais superaram as expectativa e deram sustentação aos preços em boa parte da sessão. Além disso, houve o anúncio de uma venda de 126 mil toneladas para a China.


CHINA Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 126.000 toneladas de soja para a China. A entrega está programada para a temporada 2020/21. Toda operação envolvendo a venda de volume igual ou superior a 100 mil toneladas do grão, feita para o mesmo destino e no mesmo dia, tem que ser reportada ao USDA.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,86%, negociado a R$ 5,3450 para venda, em dia ajuste após a decisão de ontem do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre reduzir a Selic (taxa básica de juros) na noite de ontem. Além disso, analistas têm percebido forte volatilidade na moeda em movimento errático em relação aos seus pares emergentes.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax