Voltar

Informativo Diário

15/01/2020

COTAÇÕES DA SOJA PERMANECEM SEM DIREÇÃO E NEGÓCIOS MODERADOS SÃO REGISTRADOSNO PAÍS

Na terça-feira, o mercado interno de soja permaneceu com ritmo razoável nas diferentes praças de negociação do país. Em uma sessão marcada pela alta volatilidade, os preços da commodity permanecem mistos no país. Tanto o dólar quanto Chicago encerraram com ligeiras perdas, praticamente estáveis e sem afetar significativamente as cotações no mercado doméstico. Os prêmios também têm apresentado oscilações mistas e estão na faixa de US$ 0,48 e US$ 0,58 por bushel. Segundo rumores, ao menos 150 mil toneladas de soja trocaram de mãos ao longo do dia no país,sendo maior parte desses negócios para 2021.

RS: dia de preços firmes e melhor movimentação reportada no estado. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 91 por saca CIF para embarque no mês de março/21 e pagamento em maio/21. Também havia indicações na faixa de R$ 90/saca CIF para embarque e pagamento no mês de maio.

PR: melhores negócios foram registrados no estado, apesar da queda nas cotações. Na região oeste, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 84,50 por saca para embarque no mês de janeiro/21 e pagamento em março/21. Na região portuária, o comprador sinalizava R$ 91/saca CIF para embarque e pagamento no mês de fevereiro/21.


CHICAGO(CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão, em queda no farelo e em alta no óleo na terça-feira. Nas posições spot, as perdas foram de 0,08% no grão e de 0,60% no farelo, e ganhos de 0,02% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato janeiro/20 atingiu a máxima de US$ 9,3475 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,2850 por bushel, com queda de 0,75 ponto. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com perdas de até 2,75 pontos nos principais vencimentos. O vencimento março/20 operava com perdas de 1,25 pontos, com negócios a US$ 9,41 por bushel.

• O mercado esteve em compasso de espera pela assinatura da "fase um" do acordo entre os Estados Unidos e a China, que deve ocorrer amanhã. A falta de detalhes sobre esta fase do acordo deixou a oleaginosa bastante volátil, com os investidores aguardando por novidades.

• Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 120.000 toneladas de soja em grão para destinosnão revelados, com entrega na temporada 2020/21.


CHINA Os Estados Unidos retiraram o rótulo de manipulador cambial da China, dois antes da assinatura da primeira fase do acordo comercial entre os dois países. "A China assumiu compromissos exequíveis para evitar a desvalorização competitiva, ao mesmo tempo em que promove transparência e responsabilidade", disse o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, em comunicado divulgado ontem à noite. As práticas cambiais da China nos últimos meses foram avaliadas como parte do relatório semestral sobre políticas macroeconômicas e de câmbio dos principais parceiros comerciais dos Estados Unidos, entregue ontem pelo Departamento do Tesouro ao Congresso.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com queda de 0,19%, sendo negociado a R$ 4,1320 para venda e a R$ 4,1300 para compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima de R$ 4,1280 e a máxima de R$ 4,1630. A divisa norte-americana rompeu uma sequência de três altas seguidas em sessão de forte volatilidade no qual a moeda chegou ao maior valor intraday desde 6 de dezembro. O viés de correção somado a dados econômicos divulgados ao longo do dia corroboraram para a queda da moeda.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax