Voltar

Informativo Diário

26/10/2020

EM MAIS UMA SESSÃO VOLÁTIL, MERCADO DE SOJA PERMANECE LENTO E FOCO CONTINUA NO PLANTIO

Na sexta-feira, o mercado interno de soja encerrou a semana calmo nas diferentes praças de negociação do país. A commodity registrou mais um dia de forte volatilidade. Em Chicago, a commodity oscilou entre US$ 10,65 e US$ 10,88 por bushel. Já o câmbio chegou a abrir no campo negativo, passando a operar com ligeiros ganhos no meio-pregão e ampliando a alta perto do fechamento. Com isso, as cotações tiveram oscilação mista no mercado doméstico e não foram registrados negócios relevantes ao longo do dia. Ainda com muita preocupação acerca do clima, os trabalhos de plantio da nova safra brasileira de soja tiveram avanço modesto e chegam a 16,3% da área total esperada.

RS: mercado encerrando a semana vazio de ofertas e com preços mistos. Na região portuária do estado, para embarque e pagamento em meados de julho/21, havia possibilidade de negócios até R$ 139,50 por saca. No interior do estado, havia possibilidade de negócios até R$ 168 por saca FOB para embarque e pagamento em meados de janeiro/21.

PR: cotações nominais e mercado lento. Para embarque em março/21 e pagamento no final de abril/21, indicações de compra entre R$ 139 e R$ 140 por saca CIF na região portuária. Na região oeste, indicações de compra na faixa de R$ 170 por saca no disponível. Os trabalhos de plantio seguem avançando no estado e atingem aproximadamente 35% da área prevista.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão e no farelo, e em alta no óleo na sexta-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,93% no grão, de 1,04% no farelo e de 1,24% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato novembro/20 do grão atingiu a máxima de US$ 10,8850 por bushel. Ao final da sessão, trocou de mãos a US$ 10,8375/bushel. Por volta das 13h (Brasília), a soja operava com perdas de até 2,5 pontos nos principais vencimentos. O vencimento janeiro/21 operava com perdas de 2 pontos, com negócios a US$ 10,7025 por bushel.

• Em dia muito volátil, o mercado buscou consolidação. Ao final da sessão, a demanda aquecida nos Estados Unidos, a preocupação com o plantio no Brasil e o desempenho positivo do milho e do trigo sustentaram a oleaginosa.

• Com a valorização de hoje, a alta semanal chegou a 3,08%. Durante a semana, os contratos atingiram o maior valor em quatro anos.


ARGENTINA A Argentina deverá cultivar 16,9 milhões de hectares de soja na safra 2020/21, segundo previsões do relatório de outubro do Ministério da Agroindústria da Argentina. A área esperada é similar à cultivada na temporada 2019/20. A produção de soja da Argentina ficou em 49 milhões de toneladas na safra 2019/20, abaixo das 55,3 milhões de toneladas colhidas na temporada anterior (2018/19).


CÂMBIO O dólar comercial fechou em alta de 0,64% no mercado à vista, cotado a R$ 5,6310 para venda, em mais uma sessão de volatilidade, exibindo a cautela dos investidores locais em meio à espera de sinais quanto às tratativas de um novo pacote de estímulo fiscal nos Estados Unidos, atento ao cenário fiscal local. Na semana, a moeda caiu 0,25%.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax