Voltar

Informativo Diário

26/12/2019

COM CHICAGO E DÓLAR EM DIREÇÕES OPOSTAS, PREÇOS DA SOJA FICAM ESTÁVEIS E COMERCIALIZAÇÃO SEGUE EM RITMO LENTO

Na segunda-feira, o mercado interno de soja iniciou a semana calmo nas principais praças de negociação do país. Em Chicago, a oleaginosa voltou a registrar importantes ganhos, chegando a atingir a máxima de US$ 9,37 ao longo do pregão. Já a moeda norte-americana, voltou a recuar e fechou abaixo dos níveis de R$ 4,10 por dólar. Com preços pouco atrativos e com a proximidade dos feriados de fim de ano, o mercado tem sua liquidez bastante reduzida e os negócios permanecem escassos.

RS: mercado iniciando a semana em ritmo lento e cotações nominais. Na região de Passo Fundo, o comprador permanece sinalizando R$ 82,50 por saca para embarque no mês de maio/20 e pagamento em meados de junho/20, mas sem contrapartida de vendas.

PR: dia de mercado calmo e preços inalterados. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 89,50 por saca CIF para embarque imediato e pagamento no mês de fevereiro/20, porém sem contrapartida de vendas.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão e no óleo, e em alta no farelo na segunda-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,61% no grão e de 1,17% no farelo, e queda de 0,02% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato janeiro/20 atingiu a máxima de US$ 9,37 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 9,34 por bushel, com alta de 5,75 pontos. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 6 pontos nos principais vencimentos. O vencimento março/20 operava com ganhos de 4,25 pontos, com negócios a US$ 9,4250 por bushel.

• O mercado buscou suporte na confirmação de boa demanda pelo produto norte-americano, com o anúncio de uma nova venda para a China. Os ganhos, porém, se afastaram das máximas do dia para o grão. Já o farelo encerrou próximo do melhor nível do dia.

• Exportadores privados reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 126 mil toneladas de soja para a China com entrega para 2019/20. O ano comercial começou em 1o de setembro. Toda atividade envolvendo 100 mil toneladas ou mais deve ser reportada ao órgão.


CHINA A China anunciou que reduzirá as tarifas de importação de carne de porco congelada, produtos farmacêuticos e alguns componentes de alta tecnologia a partir de 1 de janeiro, uma decisão que ocorre quando Pequim e Washington se encaminham para oficializar o acordo comercial da primeira fase. As informações são da agência de notícias "Dow Jones". Em um plano aprovado pelo Conselho de Estado, a China cortará impostos sobre 850 tipos de produtos, incluindo medicamentos para o tratamento de asma e diabetes e semicondutores,segundo o Ministério das Finanças do país. As taxas mais baixas serão aplicadas à carne de porco congelada, enquanto a China tenta suprir o suprimento de carne diante do surto de peste suína africana e, em alguns produtos, ela será completamente eliminada.


CÂMBIO O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com queda de 0,26%, sendo negociado a R$ 4,0830 para venda e a R$ 4,0820 para compra. Durante o dia, a moeda norteamericana oscilou entre a mínima de R$ 4,0580 e a máxima de R$ 4,0970. A divisa norte-americana recuou devolvendo parte da alta da última sexta-feira em meio uma redução da liquidez na semana do Natal. No exterior, a moeda operou sem uma direção clara ante outras divisas e também com variações modestas, já que o volume cai em diversas praças, com muitos mercados fechados nos próximos dois dias.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax