Voltar

Informativo Diário

07/07/2020

SOJA ROMPE LINHA DE US$ 9,00 EM CHICAGO E PREÇOS INICIAM A SEMANA FIRMES

Na segunda-feira, o mercado interno de soja iniciou a semana calmo nas diferentes praças de negociação do país. Em Chicago, a commodity ultrapassou os patamares de US$ 9,00 por bushel, o que fez os preços avançarem em algumas das regiões. Entretanto, o câmbio permanece volátil, oscilando entre R$ 5,26 e R$ 5,38 por dólar ao longo do dia. Com isso, os agentes seguem cautelosos e aguardam melhores oportunidades para voltar a negociar. A pouca oferta de soja disponível também tem influenciado nas negociações.

RS: cotações firmes e negócios moderados reportados. Na região portuária, para embarque em abril/maio/21 e pagamento em meados de junho/21, indicações na faixa de R$ 108 por saca CIF Rio Grande. Para embarque e pagamento em meados de agosto/setembro deste ano, indicações entre R$ 117,50 e R$ 118,50.

PR: preços firmes e mercado pouco movimentado. Para embarque e pagamento em junho/21, as indicações permanecem entre R$ 107 e R$ 108 por saca CIF região portuária. Para embarque e pagamento em setembro/outubro deste ano, indicações seguem entre R$ 117 e R$ 118 CIF Paranaguá.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam em alta no grão, no farelo e no óleo na segunda-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,67% no grão, de 0,64% no farelo e 1,64% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato julho/20 do grão atingiu a máxima de US$ 9,0150 por bushel. No final da sessão, trocou de mãos a US$ 8,9850 por bushel.

• O mercado atingiu os melhores patamares em quatro meses, se consolidando acima da casa de US$ 9,00 por bushel.

• A previsão de clima seco e de temperaturas elevadas para o cinturão produtor dos Estados Unidos, podendo comprometer o desenvolvimento das lavouras e o potencial produtivo, impulsionou o mercado. As inspeções de exportação acima do esperado e a nova venda para a China completaramo cenário positivo.

• As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 521.638 toneladas na semana encerrada no dia 2 de julho, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O mercado previa 350 mil toneladas.

• Na semana anterior, as inspeções de exportação de soja haviam atingido 333.662 toneladas. Em igual período do ano passado, o total inspecionado fora de 761.845 toneladas. No acumulado do ano-safra, iniciado em 1o de setembro, as inspeções somam 37.338.882 toneladas, contra 37.863.951 toneladas no acumulado do anosafra anterior.

• Os exportadores privados venderam ainda 264 mil toneladas para a China, com entrega na temporada 2019/20. • O mercado aguarda agora o relatório de condições das lavouras, que será divulgado no final da tarde pelo USDA. Na sexta, o USDA divulgará o relatório mensal de oferta e demanda.


CHINA O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está considerando emitir novas ordens executivas direcionadas à China, imigração e questões trabalhistas, disse o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows. As informações são da agência de notícias "Sputnik". "Para nós, essa é uma série de ordens executivas que pode tratar de alguns dos problemas de imigração, manufatura, empregos e, finalmente, lidar com a China, sobre o que precisamos fazer lá em termos de restauração do equilíbrio", disse Meadows.


CÂMBIO O dólar comercial fechou em alta de 0,52% no mercado à vista, cotado a R$ 5,3520 para venda, em mais uma dia de volatilidade no qual chegou a operar perto do nível de R$ 5,25 influenciado pelo otimismo que prevaleceu no exterior com apostas de que a recuperação da economia global será mais rápida do que o esperado. Porém, uma correção local levou a moeda a fechar em alta, na contramão do exterior.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax