Voltar

Informativo Diário

21/05/2021

SOJA TÊM TERCEIRA SESSÃO SEGUIDA DE PERDAS EM CHICAGO E MERCADO PERMANECE TRAVADO NO PAÍS

Na quinta-feira, o mercado interno de soja permaneceu bastante lento nas diferentes praças de negociação do país. Enfileirando o terceiro pregão consecutivo de perdas em Chicago, a commodity teve mais uma sessão de preços mais fracos e escassez de oferta. Completando o cenário negativo, o câmbio também recuou e boa parte dos agentes estiveram fora de mercado. A firmeza dos prêmios impediu uma queda mais consistente das cotações internas, ficando entre -US$ 0,40 e -US$ 0,20 por bushel na posição junho/21 e entre -US$ 0,15 e -US$ 0,09 por bushel na posição julho/21.

RS: preços de estáveis a mais baixos em um mercado pouco ofertado. Na região portuária do estado, para embarque e pagamento em meados de julho/21, indicações de compra entre R$ 173 e R$ 174 por saca CIF, enquanto no spot a indicação fica em R$ 173. No interior do estado, comprador indicando entre R$ 170 e R$ 171 por saca FOB para embarque e pagamento curtos.

PR: oscilação mista nos preços e mercado lento. Para embarque e pagamento em meados de agosto/21, indicações nominais de compra entre R$ 180 e R$ 180,50 por saca CIF na região portuária. Na região oeste, indicações nominais de compra na faixa de R$ 168 por saca para embarque e pagamento em meados de junho deste ano, porém sem contrapartida de venda.


CHICAGO(CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão, no farelo e no óleo na quinta-feira. Nas posições spot, perdas de 0,32% no grão, de 0,52% no farelo e de 1,06% no óleo. No melhor momento do dia, o contrato julho/21 do grão atingiu a máxima de US$ 15,5375 por bushel. Ao final da sessão, trocou de mãos a US$ 15,3325 por bushel. Por volta das 14h (Brasília), a soja operava com ganhos de até 5 pontos nos principais vencimentos. O vencimento agosto/21 operava com ganhos de 3,25 pontos, com negócios a US$ 14,8875 por bushel.

• A previsão de clima favorável nos próximos 10 dias para o cinturão produtor americano ajudou a pressionar as cotações.

• A forte queda do petróleo no mercado internacional e as fracas vendas semanais dos Estados Unidos completaram o cenário negativo para os contratos futuros.

• As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2020/21, com início em 1 de setembro, ficaram em 84.200 toneladas na semana encerrada em 13 de maio. Representa um recuo de 11% frente à semana anterior e uma queda de 45% sobre a média das últimas quatro semanas. O Japão liderou as importações, com 57.800 toneladas.

• Para 2021/22, foram mais 96.000 toneladas. Os analistas esperavam exportações entre -100 mil e 500 mil toneladas, somando-se as duas temporadas.


ARGENTINA As exportações de grãos da Argentina seguiram paralisadas nesta quintafeira. Uma greve de trabalhadores portuários pressiona pela vacinação de seus membros contra a Covid-19. Os sindicatos ameaçam outra greve de 48 horas na próxima semana. A autoridade portuária da Argentina disse à Reuters que a greve paralisou as atividades nos portos. Depois de uma reunião com oficiais do governo, os sindicatos emitiram uma declaração dizendo que continuariam "lutando para proteger a saúde" dos seus membros.


CÂMBIO O dólar comercial fechou em queda de 0,73% no mercado à vista, cotado a R$ 5,2760 para venda, acompanhando o exterior, onde a moeda perdeu terreno para as divisas pares e de países emergentes em correção após o estresse na véspera, influenciada pela disparada das treasuries reagindo ao tom da ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central norteamericano). Aqui, os números da arrecadação federal em abril e a aprovação da privatização da Eletrobras corroboram para a queda do dólar.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2021 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax