Voltar

Informativo Diário

25/03/2020

COM FORTE QUEDA DO DÓLAR, COMERCIALIZAÇÃO DE SOJA REDUZ O RITMO NO PAÍS

Na terça-feira, o mercado interno de soja apresentou ritmo razoável nas diferentes praças de negociação do país. Com os principais referenciais em direções opostas, as negociações reduziram o ritmo na sessão de hoje. Em Chicago, a commodity teve seu 6º pregão seguido de ganhos. Porém, o câmbio fechou com forte queda e os preços tiveram oscilação mista no mercado doméstico. Diante disso, bons negócios seguem sendo registrados no sul do país, mas nas demais regiões os agentes seguem cautelosos. Rumores indicam aproximadamente 250 mil toneladas de soja trocando de mãos ao longo do dia no país.

RS: mercado mantendo o bom ritmo nas negociações e preços de estáveis a mais altos. Na região portuária, havia possibilidade de negócios na faixa de R$ 105 por saca CIF para embarque no mês de julho e pagamento em meados de agosto deste ano. Rumores apontam pelo menos 100 mil toneladas de soja comercializadas ao longo do dia.

PR: cotações avançando e bom volume de negócios reportado. Em Paranaguá, havia possibilidade de negócios entre R$ 101 até R$ 102 por saca CIF para embarque e pagamento em meados de maio deste ano. Ainda na região portuária, para embarque no mês de fevereiro/21 e pagamento em meados de abril/21, o comprador segue apontando R$ 97 por saca. Rumores apontam cerca de 100 mil toneladas de soja negociadas no estado.


CHICAGO (CME/CBOT) Na Chicago Board of Trade (CME/CBOT), os contratos futuros do complexo soja fecharam mistos no grão e no farelo, e em alta no óleo na terça-feira. Nas posições spot, os ganhos foram de 0,31% no grão e de 1,57% no óleo, e perdas de 0,45% no farelo. No melhor momento do dia, o contrato maio/20 atingiu a máxima de US$ 8,8775 por bushel. No final da sessão, trocava de mãos a US$ 8,8675 por bushel, com alta de 2,75 pontos.

• Após realizar lucros pela manhã e cair mais de 1%, o mercado mudou de direção na parte da tarde, garantindo a sexta sessão consecutiva de alta.

• As cotações seguem encontrando suporte na sinalização de maior demanda pelos produtos agrícolas dos Estados Unidos. A expectativa em torno da aprovação do plano de medidas para impulsionar a economia americana.

• Os operadores também começam a se posicionar a importantes relatórios do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que serão divulgados na próxima semana. Dia 31, o USDA libera suas projeções de intenção de plantio em 2020/21 e também para os estoques trimestrais na posição 1 de março.


CHINA As autoridades chinesas planejam encerrar a quarentena em massa no centro província de Hubei, onde surgiu a pandemia de coronavírus, como parte dos esforços nacionais para revitalizar uma economia quase paralisada pelo contágio. As informações são da agência de notícias "Dow Jones". O fim do cordão de saúde em Hubei - a região com os mais rigorosos controles de epidemias na China e a última a aliviá-los - vem depois que as autoridades chinesas relataram um declínio sustentado de novos casos de coronavírus transmitidos localmente. Pequim citou essa tendência ao exigir maiores esforços para restaurar operações comerciais normais em todo o país.


CÂMBIO O dólar comercial fechou a sessão em queda de 1,01%, sendo negociado a R$ 5,0840 para venda e a R$ 5,0820 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,0440 e a máxima de R$ 5,1000. A divisa norte-americana recuou em sessão de alívio nos ativos globais com moedas de países emergentes se recuperando das fortes perdas exibidas ontem, enquanto o mercado acionário fechou em forte alta ao redor do globo. Investidores aguardam a aprovação de um pacote de estímulos nos Estados Unidos.


Fonte: CMA Group - Safras & Mercado.





Rod. BR 373 - km 400 | Candói - PR | Brasil - CEP: 85.140-000
© 2020 | Todos os Direitos Reservados. Ultramax